COMPARTILHE

António Costa respondeu que não comentava a intenção do CDS, ao ser questionado pelos jornalistas durante uma visita que realizou à Ovibeja, feira que cumpre a sua 33ª edição e que o governante qualificou como “um exemplo do que tem sido a renovação da agricultura no Alentejo” e em Portugal.

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, confirmou hoje que o partido irá apresentar no parlamento um projeto de resolução sobre os Programas de Estabilidade e Nacional de Reformas, também durante uma visita realizada à Ovibeja.

Assunção Cristas disse que o CDS-PP quer que o Governo “leve o Programa de Estabilidade juntamente com o Plano Nacional de Reformas” a votos no parlamento “porque são dois documentos que têm de ser vistos em conjunto e só assim é que são vistos de uma maneira consequente”.

Na breve resposta que deu aos jornalistas, após cerca de hora e meia de visitas pelos pavilhões da feira e contactos com expositores, criadores e transeuntes, António Costa apenas fez uma pequena declaração sobre a Ovibeja.

“Esta é uma grande iniciativa, lançada pelo saudoso engenheiro Castro e Brito, que recentemente nos deixou, mas felizmente deixou esta herança, que é de facto um exemplo do que tem sido a renovação da agricultura no Alentejo e da pujança dos criadores. Acho que é um excelente exemplo que nos devia inspirar a todos do que é necessário fazer para continuar a valorizar o país, o território e as nossas produções”, afirmou o primeiro-ministro.

António Costa sublinhou que esta valorização tem sido uma realidade “no azeite, no vinho, na criação de gado e nas indústrias agroalimentares” e continuar a ser uma aposta no futuro.

O primeiro-ministro chegou à zona da feira cerca das 12:00, mas antes de se dirigir ao recinto entrou num pavilhão adjacente para participar na sessão de encerramento da conferência “Novos Desafios do Alentejo”, na qual estava inicialmente prevista a participação do ministro da Agricultura Florestas e do Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos.

A iniciativa, organizada por uma entidade bancária e um grupo de comunicação social, com o apoio do Ministério da Agricultura, Florestas e do Desenvolvimento Rural, acabou por ser encerrada por António Costa, que na breve comunicação aos participantes enalteceu a aposta que tem vindo a ser feita no setor agrícola nos últimos anos e sublinhou o seu contributo para as exportações.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA