COMPARTILHE

Sophie Serrano, de 40 anos, descobriu há dez anos que a filha que criava não era sua biologicamente. Ao Daily Mail, a mulher contou como é que a sua vida mudou depois destas revelações.

A mulher residente em França teve uma menina há 21 anos, mas por negligência da maternidade levou a bebé errada para casa. Só dez anos depois, após realizar um teste de ADN, é que ficou a saber que a filha que criou e amou, Manon, não era sua.

Sophie acabou por agendar um encontro com os progenitores biológicos de Manon mas todos concordaram em não manter uma relação de proximidade. Para Sophie, esta era a única forma que as famílias tinham para permanecerem felizes.

“Depois de nos termos encontrado foi difícil voltarmos às nossas vidas. Mas para voltarmos ao normal acordámos não nos vermos mais”, explicou.

Sophie diz que esta situação não afetou a forma como vê Manon. “O seu lugar no meu coração é intocável”, referiu.

“Temos uma relação muito próxima, uma ligação de amor e confiança, a nossa relação melhorou mais com esta situação”, afirmou.

Sophie tem mais três filhas, Laura, de 17, Mickael, de 12 anos, e uma bebé de um ano.

Para a progenitora, um dos piores momentos foi contar a Manon a verdade. “Sabia que no momento em que lhe dissesse o seu mundo iria mudar para sempre. Estava muito assustada. Pensei que quando os pais dela descobrissem a quisessem tirar de mim”, frisou.

Relativamente à sua filha biológica, Sophie disse ter visto muitas semelhanças “nos olhos, cabelo, sorriso”. “Foi muito emocionante, não a queria largar”, terminou.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA