COMPARTILHE

O Partido Ecologista Os Verdes (PEV) anunciou hoje que entregou na Assembleia da República um projeto de resolução em que recomenda ao Governo a abolição das portagens na autoestrada A4 (Porto/Quintanilha/Bragança).

O PEV defende também que não sejam instalados novos pórticos na A4 (autoestrada transmontana), em toda a sua extensão, que serve os distritos de Vila Real e de Bragança.

Os Verdes justificam as duas reivindicações porque a autoestrada está localizada “em regiões cujos indicadores de desenvolvimento socioeconómico são inferiores à média nacional” e “por não existirem alternativas de oferta no sistema rodoviário”, indica o partido, em comunicado.

Além disto, acrescenta o PEV, a abolição das portagens e a não instalação de novos pórticos ao longo da A4 são “uma forma de compensar as regiões do país com medidas de discriminação positiva, tendo em conta as disparidades regionais existentes”.

No projeto de resolução, o grupo parlamentar de Os Verdes defende que a introdução de portagens na A4 causou “graves prejuízos” à região e às suas populações.

“A introdução de portagens na A4, veio ainda contribuir decisivamente para fragilizar a qualidade de vida das populações, sobretudo com menos recursos, mas também provocar uma forte perda na competitividade destas regiões, agravando ainda mais a economia regional e penalizando as empresas instaladas na região transmontana, com graves prejuízos para o emprego e para a região”, refere o partido.

Na sexta-feira, também o Bloco de Esquerda entregou no parlamento três projetos de resolução em que recomenda ao Governo a abolição das taxas de portagem nas autoestradas A4 (Porto/Quintanilha/Bragança), A24 (Viseu/Chaves) e A25 (Aveiro/Vilar Formoso).

Nos documentos, o BE propõe “a abolição imediata” da cobrança as portagens “em todos os troços” daquelas autoestradas.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA