COMPARTILHE

Acompanhe aqui em direto

Os motores do carros dos concorrentes do Vodafone Rally de Portugal já se fazem ouvir desde hoje bem cedo no Kartódromo de Baltar, em Paredes, num dia com um programa muito intenso.

O arranque da prova acontece com a realização do Shakedown, uma prova teste que teve início às 7:30 horas e que se prolonga até às 13 horas, permitindo desde logo ao público assistir às passagens em ritmo de prova dos concorrentes, para encontrarem a melhor afinação possível para as classificativas que vão enfrentar.

O acesso divide-se pela zona de peão, com os bilhetes a custarem 10 euros, 4500 lugares de bancada a 20 euros e o passe mais caro, no valor de 50 euros, a incluir o serviço de catering no local e estacionamento no interior do kartódromo

Sem ordem específica de saída, o Shakedown será o primeiro momento de contacto entre o público e as equipas que vão disputar o Rally de Portugal. O percurso de 4,6 quilómetros da “classificativa” termina no interior da pista de ralicross do Kartódromo de Baltar, que no ano passado recebeu milhares de espetadores.

A manhã está, assim, reservada para as últimas afinações e melhoramentos que pilotos e equipas técnicas podem fazer nos carros antes do Vodafone Rally de Portugal começar.

Finalizado esse trabalho, a caravana competitiva ruma a Guimarães para a partida oficial. Esta está agendada para as 18:10 horas, junto ao castelo da cidade-berço de Portugal. Ainda antes, haverá lugar para uma sessão de autógrafos.

Cumprida a cerimónia protocolar, chega a hora do espectáculo. As equipas fazem uma ligação de 40 quilómetros e são postas à prova pela primeira vez. A super-especial de Lousada está marcada para as 19h01 e espera-se uma verdadeira multidão para o primeiro grande momento de espectáculo competitivo no Vodafone Rally de Portugal 2016.

Até este momento, no shakedown o mais rápido é Thierry Neuville, que na sua terceira passagem registou 3m11.3s, havendo ainda diversos pilotos no mesmo segundo, por exemplo Dani Sordo, seu colega de equipa na Hyundai, Ott Tanak (Ford Fiesta WRC) e Kris Meeke (Citroen DS3 WRC). Curiosamente, os homens da VW estão todos no segundo 12, mas estes são apenas os derradeiros ‘ajustes’ às afinações dos carros, e o cronómetro é para já meramente indicativo…

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA