Braga para Todos e ativistas não querem animais na AGRO

Braga para Todos e ativistas não querem animais na AGRO

565
0
COMPARTILHE

Ativistas marcam presença sábado e domingo na Agro para sensibilizar os presentes face ao uso de animais em mais uma edição da Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação que decorre entre dia 10 a 13 de maio.

O movimento de ação cívica Braga para Todos afirmar que é excelente Braga ter várias iniciativas com grande dimensão mas acredita ser desnecessário os animais ficarem lá os dias da feira e expostos a níveis de stress alto provocado pela grande afluência do evento e declaram: “ a iniciativa parecemos-nos benéfica para Braga, no entanto está existe há 51 anos é tempo de mudar de paradigma e manter as feiras mas destacando outras atividades. Por exemplo o debate sobre as Bio-regiões é muito interessante face à promoção de produtos biológicos e novas alternativas de negócio, mas a presença de animais e palestras a defender as atrocidades da indústria agro-pecuária não nos parece adequado ao período que vivemos.”

O Braga para Todos e a VeganHood que representa vários movimentos veganos a nível internacional estão de acordo que é uma contradição a Quinta Pedagógica, da Câmara Municipal de Braga, também presente na feira por um ano ensinar a fazer hortas, mas por outro fundamentar a exploração animal ao proporcional passeios de charrete com uma égua da quinta, segundo os ativistas: “ a  função pedagógica  da quinta anula-se quando colocam um animal exposto a um ambiente diferente do habitual e a transportar curiosos, temos que mudar a forma como usamos os animais e o maior exemplo devia vir destes locais, mais uma vez a visão retrógrada de quem gere até espaço é notório”.

Outra situação apontada, no programa da AGRO, como grave, para os defensores da causa animal é os debates a promover que a carne, ovos e leite são alimentos bons para os humanos quando a comunidade científica já provou que não :” Os lobbies desta indústria não podem continuar a ludibriar a realidade, além de ser possível viver sem estes alimentos, a forma como estes são criados é de uma violência atroz para os animais, como se pode educar uma sociedade a promover a supremacia de uns sobre os outros?”

As manifestações serão no sábado e no domingo, no sábado um cubo da verdade que inicia às 15h e mostra através de vídeos a realidade da indústria agro-pecuária e no domingo no mesmo horário, uma manifestação silenciosa.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA