Autarcas reuniram com primeiro ministro para o sensibilizar para a linha ferroviária

Autarcas reuniram com primeiro ministro para o sensibilizar para a linha ferroviária

Presidentes das Câmaras Municipais de Paços de Ferreira, Felgueiras, Lousada, Paredes e Valongo foram a Lisboa

195
0
COMPARTILHE

Os presidentes das Câmaras Municipais de Paços de Ferreira, Felgueiras, Lousada, Paredes e Valongo foram recebidos, na passada terça-feira, na residência oficial do Primeiro Ministro, António Costa, com o objetivo de o sensibilizar para a importância da construção da linha ferroviária do Vale do Sousa.
A reunião contou, também, com a presença do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro.
A linha ferroviária do Vale do Sousa, entre Felgueiras e Valongo, é de vital importância para o desenvolvimento da região, onde existe meio milhão de habitantes e uma economia pujante, estando neste momento a ser realizado um estudo da responsabilidade da CIM Tâmega e Sousa, trabalho técnico que está a ser coordenado pelo especialista em transportes Professor Álvaro Costa.
O primeiro-ministro manifestou o seu agrado pela dinâmica e congregação de vontades dos cinco autarcas em concretizarem um projeto de dimensão regional e nacional.
Horas antes, o novo ministro que tutela o Planeamento e Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, recebeu os presidentes de Câmara Humberto Brito, Nuno Fonseca, Pedro Machado, Alexandre Almeida e José Manuel Ribeiro.
Nesta reunião os autarcas apresentaram ao ministro a sua reivindicação para a construção da linha ferroviária do Vale do Sousa, cujo estudo técnico se encontra já previsto no Plano Nacional de Investimentos 2020/2030.
Com uma população de 500 mil habitantes, onde laboram mais de 36 mil empresas com predominâncias nos setores do calçado, têxtil e mobiliário, que faturam mais de 6,5 mil milhões de euros anuais, numa das regiões mais jovens do país, com índices de desenvolvimento aquém do desejado, a linha ferroviária do Vale do Sousa, entre Felgueiras e Valongo, constitui um instrumento de coesão territorial, social e económico que importa concretizar.
Os argumentos apresentados pelos cinco autarcas foram ouvidos pelo Ministro do Planeamento e Infraestruturas com grande interesse, tendo o mesmo demonstrado total disponibilidade para no Ministério dar continuidade ao trabalho já em curso, valorizando desse modo a importância da região para a economia do país dotando-a das infraestruturas necessárias para o transporte de uso coletivo, como é o caso da ferrovia.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA