“Há que manter as duas comunidades unidas e servir a população de...

“Há que manter as duas comunidades unidas e servir a população de Figueiras e de Covas”

COMPARTILHE
Fernando Magalhães, Presidente da Junta da União de Freguesias de Covas e Figueiras

O Yes Lousada esteve à conversa com o Presidente da União de Freguesia de Figueiras e Covas. João Fernando Pinto Magalhães, de 49 anos, está pela primeira vez a assumir as funções de autarca. O empresário, que é natural da freguesia Covas, do Concelho de Lousada, abordou as necessidades prioritárias da freguesia, os objetivos e realizou a sua própria avaliação sobre a união de freguesias de Figueiras e Covas, entre outros assuntos de interesse.

Yes: Inesperadamente, a meio do mandato teve de assumir as funções de Presidente de Junta. Que diferenças destaca entre as funções que agora exerce e aquelas que tinha anteriormente na Junta?

João Magalhães: No final do primeiro ano do mandato, assumi a Presidência da Junta, substituindo inesperadamente o saudoso Maximiano Teixeira. Até então era o tesoureiro da Junta. As funções apenas são diferentes quanto ao cargo, pois nós trabalhávamos em equipa, sendo que, além de responsável pelas contas, era também responsável pela execução das obras.

Quero aproveitar este momento para, nesta hora, prestar a minha homenagem ao meu amigo Maximiano Teixeira, a quem a população de Figueiras e de Covas, mas principalmente a de Figueiras, muito devem. De forma desinteressada trabalhou muito pela freguesia.

 Y: Conhece bem esta freguesia. Como a caracteriza?

JM: A União das Freguesias de Figueiras e Covas é uma comunidade que teve um desenvolvimento muito grande nos últimos quarenta anos, consequência do empenho e trabalho de todos os Presidentes de Junta e restantes autarcas que lideraram as freguesias de Figueiras e Covas. Independentemente do partido que representaram, são todos merecedores da nossa gratidão.

Nesta terra, é fácil e dá gosto ser Presidente de Junta, quando temos uma população trabalhadora, humilde, bairrista e sempre disponível para colaborar com a Junta da Freguesia.

O desenvolvimento destas duas comunidades também se deve muito ao trabalho dos dirigentes associativos, dos empresários e do povo trabalhador.

 Y:Qual é a situação financeira da Junta?

JM: A situação financeira é estável. Não temos dividas. Quando fazemos obras, é porque temos dinheiro para as pagar.

Y: Para si, quais são as maiores necessidades da freguesia na atualidade?

JM: Em Figueiras, precisamos de concluir as redes de água e de saneamento, pois falta ainda servir mais de dez por cento da população. Em Covas, a situação está pior porque mais de trinta por cento da população não pode aceder às redes de água e saneamento. Tenho insistido com a Câmara Municipal para concluir as redes de água e saneamento, infelizmente o Presidente da Câmara tem outras prioridades, dá prioridade às obras na Vila de Lousada.

Na rede viária, temos ainda algumas obras importantes para fazer.

Y: Que balanço faz destes três anos? Qual ou quais as obras que a marcaram?

JM: O resultado do nosso trabalho é condicionado principalmente pelas questões financeiras, ou seja, pelo dinheiro que temos, que é pouco. Como insuficiente tem sido o apoio do Município. Apesar de termos algum apoio da Câmara, entendemos que temos direito a mais. E sempre que posso estou na Câmara de Lousada, junto do Presidente, dos vereadores e dos funcionários, a reivindicar apoio e obras para a união das Freguesias de Figueiras e Covas. Até aos vereadores da oposição solicito apoio e aqui quero destacar, porque é justo, o incansável apoio que me tem sido dado pelo vereador e meu particular amigo Dr. Leonel Vieira.

Nestes três anos, posso destacar alguns exemplos do muito que já fizemos. Em Figueiras: na rua 1º de dezembro, construímos passeios, pavimentamos a rua e drenamos as águas pluviais; construção de passeio junto ao centro escolar; alargamento da Travessa da Senhora da Misericórdia, alargamento e pavimentação no Largo do Ribeiro; pavimentação da Travessa da Gandra de Baixo e na Travessa da Gandra; alargamento e pavimentação da Travessa da Senhora; vedação do terreno da Junto ao Centro Escolar, alargamento da Rua da Travessa do Sol junto ao túnel; pavimentação de parte da Rua do Casal; construção da rotunda no Largo do Sol; drenagem de aguas pluviais em várias ruas; instalação da rede de água e saneamento em diversas ruas; colocação de um sistema de bombagem de água para servir a capela mortuária, igreja e salão paroquial.

Em Covas: iniciamos a construção de casas de banho públicas nas proximidades da igreja; abertura da Rua da Aldeia; pavimentação da Travessa lateral de Sendão; alargamento da rua 25 de Abril, alargamento e pavimentação da Travessa das Casas Novas número dois; repavimentação da rua das Casas Novas número um; alargamento e pavimentação da rua da Guimbra; alargamento e pavimentação da rau do Cemitério de Covas; arranjo urbanístico junto à sede da Junta; em algumas ruas, também instalamos as redes de água e saneamento e fizemos a drenagem de águas pluviais.

Quer em Figueiras e Covas, com apoio do Centro de Emprego, temos tratado da limpeza das ruas.

Para melhorar o transporte escolar e apoiar as associações de Figueiras e Covas, compramos uma nova carrinha de nove lugares.

Ao fim de três anos, estamos de consciência tranquila, julgo que o resultado é muito positivo, mas quem o deve analisar e julgar é a população.

Y: Está a um ano do final do seu mandato. O que falta ainda fazer para dinamizar mais a freguesia?

JM: Ainda temos muito que fazer, começando desde logo por concluir as obras que iniciamos.

Temos alguns projetos que gostaríamos de abraçar ainda neste mandato. Em Figueiras, queremos concluir a pavimentação da rua do Penedo do Sol e o Parque de Lazer do Penedo do Sol.

Em Figueiras, estamos a trabalhar para ampliar o cemitério ou fazer um segundo cemitério, pois o atual está a ficar lotado.

Em Covas, pretendemos dar início às obras do arranjo urbanístico no Sagrado Coração de Jesus, para as quais já temos projeto.

Y: Caracterize o mandato, destacando as seguintes áreas: Educação; Ação Social; Emprego; Saúde; Desenvolvimento Económico e Cultura.

JM: Na área do emprego e do desenvolvimento económico, julgo que o papel da Junta de Freguesia será sempre muito limitado, essa tarefa cabe mais ao Governo e à Câmara Municipal, mas, mesmo assim, estamos sempre disponíveis para ajudar na instalação de empresas na nossa freguesia que criem postos de trabalho.

Na área da educação, o nosso trabalho tem sido intenso, principalmente nos transportes escolares, nas obras nas escolas, no apoio às atividades organizadas pelos professores e pelas associações de pais. Apoiar as crianças na idade escolar é a nossa maior prioridade.

Na ação social, ajudamos as instituições que apoiam as pessoas e famílias que vivem com mais dificuldades.

Como forma de integrar as pessoas na comunidade, realizamos todos os anos passeios e convívios para idosos.

Com o apoio das associações, realizamos uma caminhada pela freguesia.

Na cultura, reconheço que temos tido poucas iniciativas. Apenas apoiamos, através dos subsídios, as atividades culturais realizadas pelas Associações.

 Y: Caracterize a freguesia a nível associativo. De que forma a junta de freguesia apoia essas associações?

JM: Em Figueiras e Covas, o associativismo é muito forte. As associações realizam um bom trabalho nas áreas do desporto, cultura, recreio, ação social e com a juventude. Temos dirigentes associativos empenhados e que têm realizado um trabalho espetacular. O desenvolvimento de Figueiras e Covas deve-se muito ao seu trabalho.

Com estes dirigentes associativos, dá-nos gosto apoiar. E é o que temos feito, mesmo com o escasso dinheiro que temos. Apoiamos financeiramente, com empréstimos de carrinhas para transporte e com materiais para obras.

Porque estamos em época de festas, quero aqui prestar também, em nome da Junta de Freguesia, a nossa homenagem a todas as comissões de festas que em Figueiras e em Covas mantêm vivas as tradições e a cultura da nossa terra.

 Y: Como avalia a nova realidade da união de freguesias de Figueiras e Covas?

JM: É uma realidade diferente, com mais área, mais população e mais instituições, mas os problemas são os mesmos. E estamos aqui para os resolver. Conheço bem há muitos anos as duas freguesias, tenho muitos e bons amigos em Covas e em Figueiras, por isso tenho a vida facilitada.

 Y: Concorda com esta nova realidade?

JM: Temos que saber viver com esta nova realidade que nos foi imposta. Não interessa agora falar do passado. Há que manter as duas comunidades unidas e resolver os problemas e executar bons projetos que sirvam a população de Figueiras e de Covas.

 Y: Como gostava que os seus eleitores avaliassem o seu mandato?

JM: Dos eleitores espero que sejam justos. Até hoje têm sido amigos, generosos e solidários com o trabalho que eu e a minha equipa estamos a fazer pela União das Freguesias de Figueiras e Covas.

 Y: Está disponível para assumir a candidatura nas próximas eleições?

JM: Antes de estar na política, sempre estive disponível para trabalhar pela minha terra e, quando sair da política, certamente continuarei a colaborar para o desenvolvimento de Covas e de Figueiras.

Quanto a uma possível candidatura nas próximas eleições, parece-me ainda cedo falar sobre o assunto. Neste momento, estou mais preocupado em concluir os projetos que temos previstos para Figueiras e Covas.

Por: Manuel Pinho