“PS governa o município com um autoritarismo indisfarçável”

“PS governa o município com um autoritarismo indisfarçável”

Simão Ribeiro

COMPARTILHE
Simão Ribeiro

No passado sábado realizou-se na Cooperativa Agrícola a tomada de posse da nova comissão política do PSD Lousada, liderada por Simão Ribeiro. Para além de Simão Ribeiro, a sessão contou as intervenções de Adriano Rafael Moreira, Leonel Vieira, Coelho Lima, Bragança Fernandes e Marques Mendes.

Com uma sala cheia de militantes e apoiantes, Simão Ribeiro apresentou as principais ideias que pretende para este novo ciclo político: “Eu filiei-me na JSD aqui em Lousada, na freguesia de Lodares, fiz com um certo brilho nos olhos, podia e devia fazer diferente, fiz política sempre de forma aberta frontal e genuína e filo de forma humilde, aprendi tudo o que sei com a esmagadora maioria das pessoas que estão aqui dentro desta sala, e 17 anos depois estou aqui, com orgulho e responsabilidade para liderar o PSD Lousada”, inicia, desta forma, o seu discurso, apontando o incentivo dos militantes do partido. Para ele, é uma responsabilidade enorme assumir agora a concelhia: “Depois de um ciclo onde tanta gente lutou e que não conseguiu os objetivos, seria mais fácil dizer ‘não’, mas mal e doente está a democracia quando aqueles que têm responsabilidades viram as costas. O Simão não diz não ao PSD! O Simão não diz que não a Lousada!”.

Referindo que o PSD Lousada tem uma história imensa, considera ser um partido com identidade: “Uma história de muitos homens e mulheres livres que deram ao longo de muitos anos deram o litro em prole da sua terra. Tenho um orgulho imenso nesse legado, tenho um orgulho imenso dessa identidade. Sinto-me orgulhoso por suceder a pessoas, como Adérito Guerra, Lino Paiva, Rui Magalhães, Adriano Sampaio, Adriano Pinto, Adriano Rafael, José Oliveira Nunes, Leonel Vieira e a alguém que faz o favor de ser o meu irmão Agostinho Gaspar Ribeiro”.

Simão Ribeiro aproveita para elogiar Leonel Vieira ao qual agradece, em nome de todos os militantes. De seguida, o jovem criticou o atual executivo socialista: “Eu tinha apenas um ano quando o cunhado do atual presidente da Câmara foi eleito (Jorge Magalhães), trinta anos que revelam já, perdoem dizê-lo, com toda a frontalidade do mundo, um certo autoritarismo indisfarçável. Um sentimento de quem lidera os destinos do município é um sentimento de posse sobre um concelho e um sentimento que acham que tem sobre os lousadenses. Trinta anos onde a alternativa democrática não passa de uma fachada, 30 anos em que se sentem os donos disto tudo. 30 anos que criam hábitos de gestão. Quem lidera, hoje, Lousada rejeita um debate político democrático e isso nota-se no regimento da assembleia municipal, nota-se quando se refugiam atrás de um orçamento obsoleto e calculista, quando impedem os lousadenses de intervir nos inícios das sessões com medo das perguntas incómodas que os cidadãos possam fazer ao presidente de câmara. Um regimento calculista e obsoleto quando permanentemente fogem ao mais básico do debate político, que é o contraditório, deixam-se sempre para o fim de cada ronda para responderem aos deputados da assembleia municipal, e, hoje, ainda é mais indisfarçável quando tratam os presidentes de junta, que tanto dão da sua vida ao concelho e aos lousadenses, como se fossem o parente pobre da democracia do nosso concelho, quando, na verdade, se não fossem eles, o desenvolvimento das nossas gentes e da nossa terra seria impensável” critica o político.

Um partido próximo das pessoas

Procurando ter uma alternativa credível e de confiança, Simão Ribeiro espera construir um partido forte e próximo das pessoas. Uma alternativa que pense Lousada a 20 anos, e que o faça de forma vanguardista. Uma alternativa que, no dia que governe o município, não distinga os presidentes de Junta e os dirigentes associativos pela sua cor partidária, mas sim pelo seu grau de preocupação pelos interesses dos munícipes e pela sua qualidade e competência demonstrada nas funções que ocupam. Uma alternativa virada para a sociedade civil.

Um partido com identidade

Este novo dirigente do PSD local termina invocando as qualidades que aponta para o concelho: “Lousada é composta de gente honesta, trabalhadora gente humilde que luta dia a dia para sobreviver e para dar o melhor ás suas famílias. Lousada tem gente de fibra e de muita garra. Lousada é um concelho com uma história imensa, com identidade, e é dessa massa que o nosso PSD é feito. A democracia exige trabalho, dedicação e, acima de tudo, exige responsabilidade na forma como é exercida. É com essa responsabilidade que perante vós assumo esta liderança”,concluiu.

O presidente da mesa do plenário cessante, Adriano Rafael, começou o seu discurso destacando “uma passagem de vida” com Marques Mendes. Nessa altura o advogado, perguntou-lhe quantos militantes tinha, ao que o presidente respondeu “60”. Desde logo sugeriu que “seria bom ter o dobro no fim do mandato”. O objectivo de Adriano Rafael eram “os 2 mil” que conseguiu “passados 6 anos”. “Agora, são perto de três mil e acredito que com o Simão será mais de três mil, brevemente”, comentou confiante.

Adriano Rafael mostrou-se convicto de que “o PSD vai ganhar a Câmara Municipal” nas próximas autárquicas”. Relembrou que os democratas “ganharam as legislativas de 2011 e 2013, nas autárquicas de 2013”. “Em 2017, o PSD ganhou nas assembleias de freguesia, dou-vos uma palavra de confiança e essa única vitória que nos falta vai ser conseguida”, salientou.
O dirigente deixou, ainda, uma palavra de agradecimento a “todos os militantes de base”.

Leonel Vieira, o novo presidente da Mesa do Plenário, não falou muito mas salientou que não há melhor pessoa para o cargo: “Simão Ribeiro é o que está melhor preparado em desempenhar o cargo dentro do PSD e, neste caso, em Lousada e estou certo que, com a ajuda de todos, o nosso companheiro e amigo irá fazer um grande trabalho dentro do PSD Lousada”

Coelho Lima, da Comissão Política Nacional, também foi um dos intervenientes. Começou o seu discurso elogiando Leonel Vieira “pela batalha que travou, pela sua disponibilidade, pelo que fez por Lousada e pelo PSD”. “Todo o concelho de Lousada e o PSD estão gratos a ti por tudo isso”, afirmou.

Quanto a Simão Ribeiro, Coelho Lima diz ser um “tribuno nato, que fala muitíssimo bem, e que, pela sua fisionomia, faz lembrar Sá Carneiro”. “Tive a felicidade de presidir o congresso onde ele foi eleito”, avançou.

Para Coelho Lima, Simão Ribeiro é uma mais-valia para Lousada por ser um jovem promissor. “Lousada está de parabéns por ter um político de excelência como o Simão. Um jovem promissor e com muito futuro” elogiou.

Numa reflexão sobre o estado do partido e as dificuldades que o mesmo atravessa, Coelho Lima afirma que um líder tem que por um país à frente, como prioridade, e estar sempre disponível para qualquer eventualidade. “Primeiro o país, depois o partido e por fim os interesses de cada um”, salientou.

Tal como Adriano Rafael, também se mostrou confiante para que o partido volte a ganhar eleições, desta vez legislativas. “O PSD vai fazer de tudo para vencer as próximas legislativas, mas vamos por o país primeiro, e desta forma vai criar uma alternativa”, comentou.

Bragança Fernandes mostrou todo o seu apoio para com o partido, destacando Gaspar Ribeiro e Adriano Rafael, que cessaram as funções naquele dia e agradecendo-lhes pelo trabalho prestado.

Agradeceu também a Leonel Vieira pelo trabalho como vereador.
Reconheceu o “intenso e dedicado trabalho na campanha eleitoral (2017), em condições difíceis” e apelou à união do partido. “A união é o segredo para atingirmos os nossos objetivos. As divergências de ontem devem dar lugar aos consensos de hoje só assim é que é possível o PSD ganhar as próximas eleições autárquicas e também as legislativas, a unidade em detrimento da popularidade”, disse.

Marques Mendes inaugurou o seu discurso notando a presença de vários amigos na sala, tais como Adriano Rafael e Jorge Neto. A Leonel Vieira, quis saudar porque considera “uma referência importante do PSD em Lousada, e um grande exemplo de competitividade, quer no plano interno quer no plano autárquico”. 

“Muitas vezes quem ganha não é só aquele que vence nos votos, ganha também aquele que mesmo na situação mais adversa (não ganhando a eleição), ganha o nosso respeito e a nossa consideração”, aconselhou.

Marques Mendes ouviu Simão Ribeiro a falar pela terceira vez naquele dia. Para além da sua admiração para com o atual presidente do PSD em Lousada, o político afirma “estar perante um jovem de imensa qualidade e talento político, que fala bem, com convicção”.

“Não é um jovem politicamente correto, é sim um político genuíno, não é de plástico”, confirma.

De Lousada, Marques Mendes só guarda boas recordações. Foi na cidade que o advogado fez o seu o seu primeiro julgamento que “ainda por cima correu bem, e nunca mais se esquece”.

O advogado não abandonou o palco até reforçar algumas ideias. Entre elas salientar a necessidade de unidade no partido. “A unidade faz-se na ação, o partido tendo causas e combates que obriguem o governo a vergar-se perante os factos e as circunstâncias, não há ninguém que vá criar divisão no partido. Isto é o essencial”, evidenciou.

Revelou ainda três exemplos de como o PSD deve trabalhar mais como oposição, alegando que “a oposição deve ser feita a sério”. No primeiro exemplo falou na saúde, que considera uma “confusão total”; no segundo exemplo referiu a dívida pública, que aumentou em 2017 quase dois mil milhões de euros; no terceiro exemplo referiu que há 23 países na União Europeia a crescer mais do que Portugal. “O PSD tem de fazer oposição a sério com firmeza e pegar nestas matérias”, evidenciou.

Comissão política
Presidente: Simão Ribeiro; Vice-Presidentes: Carlos Nunes e Fausto Oliveira;Secretário-Geral:Joaquim Bessa;Secretários Gerais Adjuntos:Ricardo Bessa Marques,Pedro Miguel Ribeiro, Carla Freitas; Tesoureiro:Ricardo Oliveira;Vogais:Cândida Novais,Francisco Barbosa,Cidália Neto,António Pinto Bessa,Agostinha Monteiro,Filipe Costa,João Pedro Carvalho,Telmo Ribeiro,Nuno Ferreira,Alípio Campos,Vítor Ribeiro,João Pedrosa,Vera Peixoto,Agostinho Paulo Moreira,Luís Peixoto,José de Sousa Magalhães Assembleia Municipal: Filipe Barbosa;Vereação:Sandra Silva;Mesa do Plenário:Leonel Vieira;Coordenadora MSD:Paula Ferreira;Gabinete de Coordenação Autárquica:Agostinho Gaspar Ribeiro;Gabinete de Estudos:Pedro Mariano;Gabinete de Comunicação e Imagem:António Machado;JSD:Miguel Neto.

Mesa do Plenário
Presidente:Leonel Vieira;Vice-Presidente:Bruno Silva;Secretários:Pedro Ferreira,José Gonçalves,Jorge Peixoto;
Trabalhadores Social Democratas:Jorge Furtado,Hugo Soares,Tiago Fernandes
Mulheres Social Democratas:Paula Ferreira,Vírginia Monteiro,Cláudia Nunes
Gabinete de Coordenação Autárquica:Agostinho Gaspar Ribeiro,António Pedro Magalhães,Júlia Ribeiro,Rui Freire,Rui Sobral
Gabinete de Estudos: Pedro Mariano; Joaquim Luís Mota
Gabinete de Comunicação e Imagem
António Machado, José Carlos Magalhães

José Ferreira e Débora Soares (redacao@yeslousada.pt)