100 quilómetros a correr em Lousada

100 quilómetros a correr em Lousada

Edição deste ano realiza-se no dia 25 de março e conta com atletas de 9 nacionalidades

1224
0
COMPARTILHE
Corrida tem vertente solidária. 1 euro de cada inscrição reverte para os bombeiros

Lousada recebe no próximo dia 25 de março a 3.ª edição da 100K Portugal, uma Ultramaratona de 100 quilómetros com características únicas, pois é a única no nosso país a ser corrida em circuito e que leva ao limite a resistência dos atletas.
Organizada pela 100K Portugal em parceria com a autarquia local, para além da já referida prova individual, conta ainda com uma corrida de 100 quilómetros estafeta de quatro atletas e Maratona (42,195m) – Individual. Cientes de que nem todos os atletas podem alinhar num desafio de tamanha dureza a organização introduziu este ano uma corrida de 10 quilómetros (individual), como confirmou Vítor Dias: “sabemos que há pessoas que estão a começar a correr e também gostariam de participar. O ano passado tivemos a maratona por estafetas, mas esta levanta sempre alguns problemas porque à última hora falha um atletas ou alguém se lesiona e achamos que assim a pessoa está mais isolada e poderá inscrever-se sem problema nenhum”.
A outra novidade da edição deste ano tem a ver com o desenho do traçado que irá ser mais curto. Cerca de 1 milha (1,6 km), cumprida exclusivamente na pista de tartan e nas redondezas do Estádio Municipal.
“O que nos surpreende é termos atletas de nove países, maioria que nem conhecemos. Atletas que vêm propositadamente da Polónia para correr esta prova. Para nós é gratificante saber que vêm a Lousada pessoas do ‘pico’ da Europa”, congratulou-se Vítor Dias, numa altura em que estão já confirmada a presença de atletas de nove nacionalidades (Portugal, Brasil, Alemanha, Espanha, França, Grã-Bretanha, Irlanda, Moldávia e Polónia).
As inscrições terminam na próxima segunda-feira e os números da organização apontam para as três centenas de participantes: “Pode parecer pouco quando temos outras provas de 10Km com 5000 ou 6000 atletas, mas correr 100 quilómetros não é propriamente para toda a gente”.


Vítor Dias elogiou ainda as condições do Complexo Desportivo de Lousada, considerando-as fundamentais o sucesso da organização e uma aposta ganhar esta escolha: “As pessoas que cá vêm ficam tão surpreendidas quanto nós. Não conheço nenhuma parte do país que tenha um complexo desportivo como tem Lousada. Por isso temos tudo facilitado para organizar esta prova. Está tudo concentrado, tem uma pista extraordinária, assim como a zona envolvente (estacionamento, balneário). Para nós é uma mais valia ter estas condições. Talvez se fosse mais perto de uma grande cidade teríamos mais gente, mas não tínhamos as condições que aqui temos”.
Sendo uma prova com características únicas e uma das mais duras que se realizam no nosso país, o vereador do desporto da Câmara Municipal de Lousada, António Augusto, não esconde que o concelho poderá colher dividendos desse mediatismo, embora o número de participantes seja ainda algo reduzido, quando comparado com outras provas que integram o circuito mundial da modalidade: “Esta é apenas a 3.ª edição e estamos convictos que se assim continuarmos poderemos passar destas escassas centenas a alguns milhares. Neste momento estamos numa fase de sementeira, mas estamos convencidos que mesmo nesta fase há um retorno económico para Lousada”.
Refira-se que está confirmada a participação de Luís Gil, vencedor das duas edições anteriores. Esta corrida tem ainda uma componente solidária e 1 euro de cada inscrição reverterá a favor dos Bombeiros Voluntários de Lousada.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA