Treino de liderança e partilha de experiências para empresárias

Treino de liderança e partilha de experiências para empresárias

Tâmega Sousa Glow Meeting reuniu várias mulheres empreendedoras na Quinta da Tapada

COMPARTILHE

A Quinta da Tapada, em Lousada, recebeu na passada quarta-feira, o Tâmega Sousa Glow Meeting é um encontro informal exclusivamente para mulheres de negócios que contou com o apoio da Glow Woman Club, uma plataforma internacional de mulheres (apresentada neste evento) que tem como objetivo promover a liderança no feminino, apostando em networking organizado, treino de liderança e partilha de experiências.
A iniciativa contou com uma palestra da fundadora e diretora executiva da Glow Woman Club, Esther Liska, uma venezuelana filha de pai português e mãe húngara a residir em Portugal desde 2003, que incidiu sobre as cinco ferramentas essenciais da mulher líder.
Em poucas palavras, Esther Liska contou um pouco do projeto e missão da plataforma: “É uma rede internacional de mulheres que procura redefinir as possibilidades da liderança. Procuramos criar ferramentas e iniciativas que ajudem a mulher líder a cumprir os seus objetivos e que tenha tempo para ela própria, porque um dos maiores dilemas maiores que tem a mulher hoje em dia é conciliar a vida pessoal e profissional. Cada vez há mais mulheres que se estão a lançar como empreendedoras. Há outras que já têm as suas empresas há vários anos e queremos desmistificar a ideia de que a mulher não pode estar à frente de uma empresa e ter sucesso na vida familiar, de estar com os filhos e o marido e fazer tudo isso de uma forma equilibrada”.
Com uma predominância no setor têxtil, o concelho de Lousada tem já várias mulheres a gerir essas empresas, uma realidade que a fundadora da Glow Woman Club conhece: “Lousada está muito há frente, devido ao tecido empresarial favorece. Temos casos de setores que são tradicionalmente masculinos e tem sido uma jornada, digamos, de mais entraves. Mas, por ser masculinos não quer dizer que seja difícil, porque às vezes as maiores dificuldades somos nós próprios que colocámos. Por isso o tema da palestra tem tudo a ver com o nosso interior e como nos vemos a nós próprios, trabalho de auto-crescimento e daquilo que nos faz sentido para ter sucesso naquilo que queremos atingir”.
O Tâmega Sousa Glow Meeting surge no alinhamento de um conjunto de ações que tem vindo a ser desenvolvido com e para os empresários e empreendedores desta região, no âmbito da Rede de Apoio à Atividade Económica do Tâmega e Sousa, sendo promovido pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa e pela Qualidade de Basto – Empresa para o Desenvolvimento do Tecido Económico Local, em parceria com a Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico do Porto, o Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa e da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.
Paulo Portela, do Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa que organizou o evento, falou da importância da integração das mulheres líderes na região: “As mulheres fazem muita falta ao tecido empresarial. São uma mais valia que temos de aproveitar. Esta iniciativa serve para incentivar as mulheres da região a participar na vida empresarial, mas para além disso participar na vida ativa da sociedade, da politica, nas associações empresariais, nas associações desportivas, porque achámos que as senhoras, neste caso, fazem muita falta ao desenvolvimento da região”.

“Lousada tem muitas mulheres empreendedoras que precisam de valorizar mais o seu trabalho e de se organizar”

Cristina Moreira, responsável pelo pelouro do Desenvolvimento Económico e Social, marcou presença em representação do Município de Lousada, congratulou-se por ser anfitriã da iniciativa: “Esta é uma ação de empreendedorismo para que, em termos de igualdade de género, possamos perceber a importância que a mulher tem nos negócios e também naquilo que é a nossa realidade, nas pequenas e médias empresas, nas micro empresas e que muitas vezes o papel da mulher é determinante. Por isso, estamos muito contentes por receber este evento, um dos muitos que se realizam nos 11 municípios. Lousada achou por bem acolher este, nomeadamente pelo trabalho que se tem feito em prol das oportunidades de género e pelas dificuldades que temos em trabalhar as questões da igualdade de género. A mulher no concelho de Lousada é uma temática que temos vindo a tentar trabalhar com as empresas e achámos que o melhor que podia acontecer era as mulheres empresárias perceberem que são faróis, não só para outras mulheres que possam vir a ser empresárias, mas também para aquelas que são assalariadas”.
A vereadora deu o exemplo de Patrícia Maia, também presente no evento e proprietária da mais recente empresa lousadense, a ThinkGreen, que se dedica à comercialização de produtos de limpeza e higiene amigos do ambiente e da saúde.
“Lousada tem muitas mulheres empreendedoras que precisam de valorizar mais o seu trabalho e, sobretudo, de se organizar. Estamos a trabalhar neste momento na possibilidade de criar uma associação de mulheres empresárias lousadenses, porque há aqui um valor acrescentado daquilo que é as pequenas e médias empresas familiares. Muitas mulheres estão à frente das empresas, mas contudo não têm essa certeza e no fundo essa valorização e notoriedade que deveriam ter. Claro que há grandes exceções de mulheres que, essencialmente, nas duas últimas décadas têm-se afirmado, principalmente no vestuário, mas também temos outras que fazem o trabalho e não são visíveis”, referiu a vereadora, convidando os lousadenses a entrar no mundo empresarial: “incentivar homens e mulheres e serem novos empresários e concorrer, neste momento, a alguns projetos e algumas linhas de incentivo que a própria Comunidade Intermunicipal está a oferecer através do Portugal 2020. Neste momento, dos 11 concelhos, Lousada é o que tem a maior percentagem de crescimento no Terceiro Setor e o setor dominante do nosso concelho, em termos económicos, é realmente a indústria”.
Baseando-se num estudo da Universidade do Minho que refere que nos últimos 10 anos os jovens têm vindo a tomar conta das empresas familiares e que 60% são do género feminino, maioritariamente com Ensino Superior, Cristina Moreira ressalvou a importância que o município também tem dedicado à educação: “Como concelho jovem que somos e a aposta que temos feito em incentivar os jovens a tirar os seus cursos superiores, faz sentido que se pense em algumas áreas que vão ajudar a desenvolver o setor empresarial do nosso concelho, nomeadamente a indústria. Estamos a falar das engenharias e de tudo que diz respeito à própria gestão. Achámos que se as mulheres, neste momento, também elas fomentarem e forem empreendedoras que as empresas que elas farão nascer serão empresas amigas da família, o que para nós faria todo o sentido e seria uma fator de desenvolvimento económico e social muito grande”.
Esta iniciativa é cofinanciada pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.