Lousada no Congresso Internacional das Cidades Educadoras

Lousada no Congresso Internacional das Cidades Educadoras

COMPARTILHE

Realizou-se, entre os dias 13 e 16, Lousada partici­pou no XV Con­gresso Internacional das Cidades Educadoras, no Centro de Congressos do Estoril.

Neste encontro o tema escolhido foi “Cidade, Per­tença das Pessoas”, e teve como entidade organizado­ra a Associação Internacio­nal de Cidades Educadoras (AICE) – Cidade de Cascais.

Participaram pessoas de 118 cidades e 24 países, provenientes de vários lo­cais do mundo.

A finalidade do tema pas­sa pela importância da co­esão social na cidade, com o foco nas pessoas e no seu sentimento de pertença à sua terra, mas sempre com o mesmo objetivo de colocar o enfoque nos processos de construção pessoal e social da cidadania.

Foram abordados três grandes temas durante os dias em que decorreu o Congresso. Desenhar a ci­dade a partir das pessoas, das suas necessidades e as­pirações, a convivência para o sentimento de pertença e a cidade para as pessoas e os seus projetos de vida.

No âmbito destas temá­ticas, várias cidades nacio­nais e internacionais apre­sentaram experiências para debate.

Os jovens que participa­ram no Congresso tiveram oportunidade de participar em oficinas de jovens e no último dia do Congres­so apresentaram as suas ideias e conclusões sobre o que foi debatido ao longo do congresso.

Foram efetuadas apresen­tações por parte de todos os jovens congressistas que, deste modo partilharam e propostas inovadoras em áreas tão diversas como o planeamento e reabilitação urbana, a cultura, os cen­tros educativos, atividade física e desporto, ambien­te, novas tecnologias, entre muitas outras.

No final deste evento in­ternacional foram retiradas as respetivas conclusões dos três dias de trabalhos e foi elaborado um documen­to onde constam 10 pontos que funcionam como um comprometimento.

Assim pode ler-se que “a AICE apela a todos os ato­res públicos internacionais, nacionais e regionais e aos cidadãos e cidadãs para que contribuam de forma co-responsável para a con­quista destes objetivos, assegurando que criem, salvaguardem e respeitem os espaços e instâncias de participação em que a voz de todas as gerações seja ouvida na construção das cidades do presente e do fu­turo”.

Jovens Lousaden­ses apresentam re­flexões no evento

Andriana Hamivka e José Carvalho foram os dois jo­vens Lousadenses selecio­nados para participar no Congresso com as suas re­flexões.

“O desemprego não é um problema menor nem im­possível de resolver” foi o mote da apresentação de Andriana Hamivka.

Para esta Lousadense “a juventude de hoje será a única a sustentar a econo­mia, os aposentados e as infraestruturas do futuro. Os jovens serão os respon­sáveis pelos desenvolvi­mentos em arte, medicina e tecnologia. No entanto, uma quantidade significati­va desse potencial humano é desperdiçada por causa do desemprego, que não apenas os afeta a nível pes­soal, mas também social, cultural e economicamente. Os jovens desempregados entram num ciclo vicioso de educação ultrapassada, estagnação de qualificações e níveis de confiança cada vez menores, tornando-se cada vez mais dependen­tes do apoio familiar e/ou de suporte social, correndo o risco de serem afetados pela pobreza e até margi­nalizados dentro da própria sociedade, o que pode levar ao início de uma carreira criminosa”.

Está na hora de combater o desemprego juvenil com um outro espírito; como dis­se Einstein, “não podemos resolver problemas usando o mesmo tipo de pensamen­to que usamos quando os criamos”! O primeiro pas­so é adotar uma forma de encarar a realidade certa: positiva no que toca à pers­petiva e global na ambição. A criação dos programas específicos de educação e treino para os jovens, assim como a combinação do seu talento com as demandas do mercado são medidas cruciais, que o município de Lousada mostrou ser possível tomar, numa ten­tativa de avançar para uma sociedade inclusiva, justa e equilibrada, na qual todos os cidadãos têm um lugar e um emprego, assumindo e exercendo tanto os seus direitos como as respetivas responsabilidades”.

O tema da apresentação de José Pedro Carvalho re­tratou o modo como vê a re­alidade local.

Para este aluno que re­presentou o concelho, “em Lousada, a aposta na edu­cação e cultura é particu­larmente visível na relação quase simbiótica que existe entre o ensino regular e o ensino artístico. O processo que daqui resulta, gerador de uma dinâmica que con­voca à participação de mui­tos (jovens/alunos, familia­res, colegas, amigos, grupo mais alargado de cidadãos) organiza interesses e pro­pósitos comuns, estimula a realização de novos proje­tos, promove parcerias com outras instituições e aproxi­ma Lousada dos princípios estruturantes daquilo que se entende ser uma Cidade Educadora”.

Lousada aderiu ao projeto

Através da adesão a esta rede internacional em ju­nho de 2017, o Município de Lousada, assume-se como Município Educador, oferecendo a todos os cida­dãos elementos para uma formação integral, na apli­cação de uma política de cariz educativo enquadrada num contexto de justiça so­cial, civismo democrático, construindo assim uma so­ciedade sem exclusões.

Gabinete Imprensa CML