Mais de duas décadas a servir o concelho

Mais de duas décadas a servir o concelho

Leão e Companhia aposta na inovação

COMPARTILHE

O Posto de Combustível Leão e Companhia comemorou, no passado dia 2 de novembro, o seu 22.º aniversário, data que foi abrilhantada com a reaber­tura do café, que sofreu uma grande remodelação: “Tem evoluído, estamos sempre em obras. Acabamos de terminar uma, que foi o café, pois que­remos dar sempre novidades e carinho aos nossos clientes. A loja foi inaugurada na sexta-fei­ra passada. Tem melhores con­dições, é mais atrativa e maior”, refere Fernando Leão, um dos proprietários do espaço. O seu irmão Filipe Leão e a sua mãe e fundadora, Madalena Araújo, são os parceiros neste negócio, estando juntos há três anos.

Investir em prol dos clientes

A renovação do espaço e a aposta em novos serviços foram o grande objetivo desta socieda­de, como explica o proprietário: “Quisemos renovar o posto e começamos com o jetwash e a aspiração, pois não havia nada na freguesia que possibilitasse a lavagem dos carros. Foi um projeto pioneiro que quisemos trazer logo no início, há dois anos. O segundo projeto é esta loja que já está concluída, sem­pre a pensar num bom atendi­mento, para satisfação dos nos­sos clientes e desenvolvimento da freguesia, dado que é o único posto que existe nesta fregue­sia, uma das maiores do conce­lho de Lousada”.

Segundo Filipe Leão, a re­cente remodelação do espaço de hotelaria tem sido bem re­cebida pelos clientes: “Graças a Deus, as pessoas estão a gostar imenso, das cores, da inovação e, em geral, do projeto que eu e o meu irmão desenhamos, com a ajuda do arquiteto. Estamos muito contentes com o resulta­do”. A chave do sucesso está no trabalho e na forma de estar na vida e nos negócios: “Julgo que o nosso sucesso vem da nossa forma de trabalhar. É a humil­dade que a gente tem e o bom relacionamento que temos com os nossos clientes que os cati­vam”, afirma.

Fundadora desde o início, 2 de novem­bro de 1996

Implantado numa área de cerca de 6 mil metros quadra­dos, este negócio só foi possível graças à cedência do terreno por parte de familiares. Madalena Araújo reconhece o papel deste impulso inicial, que alicerçou o projeto: “Foi graças aos meus sogros, que nos deram o terre­no, que conseguimos montar a bomba, na altura, com um só­cio, mas só cerca de 14 meses. Depois ficamos nós, eu o meu marido, e agora com os meus fi­lhos. Se não fossem os meus so­gros, nada disto seria possível. Isto era um campo de lavradio, e as únicas bombas aqui próxi­mas eram ou em Carvalhosa ou em Lousada. Lembro-me que foi bom, não havia nada muito per­to, sendo esta a freguesia uma das maiores de Lousada. Estou mais feliz agora do que quando abri, pois, na altura, tinha um sócio. Agora, sinto-me mais fe­liz, pois é com os meus filhos. É uma sociedade ‘de sangue’.”

Inovação é para continuar

Quando questionados acer­ca do futuro, os proprietários explicam-nos que não estão “acanhados”, querem ir mais além, mas não levantam para já o véu: “Estamos sempre com ideias novas, e para março vão surgir mais novidades, e mais não podemos dizer. Vamos ter mais conforto, mais qualidade. O nosso espaço será um orgu­lho, tanto para Lustosa como para Lousada, pois temos mui­tos clientes do concelho, gente mesmo boa. As pessoas dão-nos os parabéns e só poderíamos estar satisfeitos”, dizem, com satisfação.