Aliança de Gandra e Rebordosa empatam no fecho da primeira volta

Aliança de Gandra e Rebordosa empatam no fecho da primeira volta

0
COMPARTILHE

O Aliança de Gandra recebeu o Rebordosa no último jogo da primeira volta da Divisão de Elite. A partida terminou empatada a zero e ficou ainda marcada pela grave lesão sofrida por Bruninho, que teve de ser transportado para o hospital.

Aliança de Gandra e Rebordosa entraram em campo num jogo que se esperava de muita intensidade e emoção. Não fosse este um encontro entre duas equipas do concelho paredense, os emblemas queriam assim deixar uma boa imagem, naquele que foi o último jogo do campeonato no ano de 2018.

Numa primeira parte bastante equilibrada, os da casa foram dominadores e mostraram que tinham argumentos para impor a primeira derrota da época aos forasteiros.

Aos 12 minutos, Pilhas assistiu Ricardo Barros que estava em boa posição para rematar, mas o corte de Tiago Vieira revelou-se essencial para impedir o golo.

Logo a seguir, foi Bruninho a tentar assistir o camisola 7 gandarense, mas Rika respondeu com uma grande defesa.

A dez minutos do fim da primeira parte, Careca tentou o remate, mas o guardião rebordosense voltou a responder de forma positiva.

Do outro lado, Brandão também teve de se aplicar para defender o cabeceamento de Xandão, que quase fazia o primeiro golo do encontro.

Na jogada seguinte, os visitantes estiveram novamente perto de inaugurador o marcador, desta vez, num remate de Sérgio Cardoso, que o guarda-redes do Aliança de Gandra defendeu.

Sem conseguirem concretizar as hipóteses, o resultado manteve-se empatado a zero até ao intervalo.

No segundo tempo, o conjunto de Tonanha entrou mais forte e obrigou a linha defensiva gandarense a manter-se concentrada e organizada para impedir os ataques do primeiro classificado da Divisão de Elite.

O Rebordosa tentou, de diversas formas, chegar ao golo inaugural, mas Brandão revelou-se numa verdadeira barreira inultrapassável. O guardião gandarense esteve em destaque ao defender as oportunidades flagrantes criadas pelos visitantes. Do outro lado, Rika praticamente não foi incomodado ao longo da segunda parte.

A quinze minutos do fim, Bruninho sofreu uma entrada dura e teve mesmo de ser transportado para o hospital, ainda no decorrer do encontro. Suspeita-se de uma lesão grave no tendão de Aquiles que obrigará a uma paragem longa do camisola 5 do Gandra.

Os golos não chegaram mesmo a aparecer até ao fim do jogo e o Rebordosa manteve assim a invencibilidade na primeira volta da Divisão de Elite. O conjunto orientado por Tonanha mantém-se assim no 1º lugar da tabela, com 43 pontos. Já, o Aliança de Gandra ocupa o 11º posto e contabiliza 21 pontos.

Tonanha: “Sabemos que somos um alvo a abater”

No final do encontro, os treinadores estavam de acordo quanto à justiça do resultado. Tonanha considerava: “Foi um bom jogo, muito emotivo e penso que o resultado se aceita. No entanto, a haver um vencedor, na minha opinião, teria de ser o Rebordosa, mais pela segunda parte, em que fomos superiores, porque a primeira parte considero que foi dividida.” Mário Rocha concordava com o colega de profissão: “Um jogo onde já toda a gente sabia a rivalidade existente entre os clubes e na preparação do encontro procurei que este fosse um jogo de futebol e fair-play e que as pessoas saíssem de cá contentes. Agora no final, analisando o jogo, acho que tivemos melhor na primeira parte e acho que dominámos nesse tempo. Na segunda parte, acho que o adversário esteve melhor que nós durante a primeira meia-hora, depois penso que conseguimos equilibrar a partida. Posto isto, considero que o empate foi o resultado mais justo.”

O técnico do Rebordosa elogiou o desempenho da equipa adversária e atribuiu mesmo o prémio de melhor em campo: “As equipas adversárias também têm valor e isso provou-se hoje, já que o Gandra conseguiu dividir a primeira parte connosco. Conseguiram bloquear as nossas saídas no início do encontro e acabam por ter mérito no seu desempenho. Temos de dar mérito ao guarda-redes do Aliança de Gandra que, na minha opinião, foi o melhor em campo.”

Apesar do empate, Tonanha salientou: “Continuamos imbatíveis e isso é o mais importante, mas sabemos que não somos invencíveis. Sabemos que vai chegar o dia em que vamos ter algum deslize, mas esperamos que seja o mais tarde possível. O mais importante é cimentarmos a nossa posição e jogo a jogo conquistar pontos, como aconteceu hoje.”

Sobre a primeira volta dos rebordosenses, o treinador não teve dúvidas: “Excelente. Uma equipa, que em 17 jogos ganha 13 e empata 4, não há muito a dizer. Temos de dar seguimento a este desempenho na segunda volta.” Já, questionado sobre a segunda metade da prova, Tonanha perspetiva: “Desde que nós ficamos nos dois primeiros lugares, já sabíamos que seríamos um alvo a abater e, obviamente, com o decorrer do campeonato e não sofrendo derrotas, torna-se um desafio para os adversários perceber quem será a primeira equipa a bater o Rebordosa. Contudo, isso não me preocupa.” O técnico garante ainda que “o plantel está preparado” e confrontado com a pergunta sobre se estão encontrados os três favoritos, Tonanha é perentório: “Não, de todo, ainda faltam muitos jogos.”

Mário Rocha: “O objetivo é terminar os primeiros seis lugares”

Mário Rocha estava satisfeito com a exibição da sua equipa e só lamentou a falta de golos: “Já conhecia bem esta equipa do Rebordosa, mas acho que estivemos bem organizados e conseguimos anular, grande parte do tempo, as jogadas da equipa adversária. No geral, foi um bom espetáculo e só faltaram mesmo os golos.”

O técnico do Aliança de Gandra abordou ainda a lesão de Bruninho, que teve de ser transportado para o hospital, durante o decorrer da partida: “O Bruninho sofreu uma lesão bastante grave no tendão de Aquiles e prevê-se uma paragem bastante longa.”

Sobre a primeira volta da equipa gandarense, o treinador lembrou: “Quando cheguei ao clube, o Aliança de Gandra já tinha o plantel praticamente fechado. Sabíamos que seria um trabalho difícil pela juventude dos atletas, mas não estávamos era à espera que acontecessem estas situações das lesões em dois jogadores “chave”, que são o Garba e o Jorginho, e que a nível ofensivo trazem muito à equipa. Esta condicionante atrapalhou o nosso trabalho e com eles a situação seria diferente, ainda assim, acho que não há nada a apontar à atitude dos jogadores nestas 17 jornadas. Somos a segunda melhor defesa do campeonato e somos o terceiro pior ataque, ou seja, é notória a falta destes dois atletas, mas o que estamos a conseguir fazer está dentro dos objetivos.”

Já, perspetivando a segunda metade do campeonato, Mário Rocha aponta: “Na segunda volta, anseio que esses dois atletas voltem e espero um Aliança de Gandra ainda mais forte, que entremos em todos os campos com uma grande atitude, como temos feito até agora. O objetivo é terminar nos primeiros seis lugares.”

Por: Cristina Borges


Ficha de jogo

Local: Complexo Desportivo Cidade de Gandra

Árbitro: David Silva

Gandra: Brandão; Bruninho (Edgar, 77’); Leo; Marcelo; Pepe; Brian; Pilhas; Careca; Ricardo Barros (Xavica, 68’); Alex (Cancelas, 68’); Diogo (Nani, 68’)

Treinador: Mário Rocha

Rebordosa: Rika; Ricky; Tiago Vieira; Xandão; Rui Miguel; Teixeira (Edu Santos, 90’); Sousa; Paulo Oliveira; Ricardo Teixeira (Leandro, 90’); Cláudio (Tiago Carvalho, 70’); Sérgio Cardoso (Migas, 70’)
Treinador:
Tonanha

Ao intervalo: 0 – 0

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA