Goleada das antigas, sob tutela de Quaresma, faz Portugal sonhar

[7-0] Goleada das antigas, sob tutela de Quaresma, faz Portugal sonhar

235
0
COMPARTILHE
Foto DR

Naquele que foi o último exame da Seleção portuguesa antes de rumar a França para disputar o Europeu de 2016, Portugal venceu a Estónia por expressivos 7-0. O regresso de Ronaldo foi a grande novidade de um jogo, onde se esperava, mais do que a vitória, uma grande exibição de Portugal. E foi isso que aconteceu.Ganhar confiança, rotinas no 4x4x2 híbrido de Fernando Santos e conceder tempo de jogo a quem precisasse era o objetivo. Com um jogo de pé para pé e com constantes variações de flanco, o conjunto de todos nós mostrou bons pormenores e capacidade para criar perigo pelos dois lados. Faltou apenas maior poder de fogo na zona central, a cargo dos médios.

A formação de todos nós dominou a partida desde o apito inicial, mas parecia faltar coordenação na hora de decidir as jogadas. Quando as bancadas da Luz já pareciam ver a sua confiança desmoronar, surgiu uma dupla que pode fazer muitos estragos no Europeu, caso mantenham a toada deste encontro. Quaresma e Ronaldo foram os artífices dos golos no primeiro tempo.

O dianteiro madeirense abriu o marcador após trivela de Quaresma, o extremo do Besiktas não se ficou por aqui e minutos depois fez o segundo com uma enorme classe.

Até ao intervalo, Ronaldo ainda viria a bisar, depois de uma jogada iniciada com um calcanhar de CR7. Com um 3-0 no marcador se foi para o intervalo e, diga-se, um resultado que assentava na perfeição perante uma Estónia sem recursos e que pretendia fazer das bolas paradas a sua arma secreta.

No segundo tempo, Portugal apanhou um valente susto na sequência de um livre. Rui Patrício saiu em falso e deixou a bola à mercê de Puri que atirou à barra com a baliza escancarada. Mas não passou de um susto pois a pressão quase esmagadora dos lusos encostou a formação dos Países Bálticos às cordas.

Danilo aproveitou um canto convertido por Quaresma para fazer o quarto e dar contornos de goleada a um jogo de sentido único. Os jogadores da Estónia pareciam desnorteados e isso ficou comprovado com o autogolo de Mets. Mais uma vez, o endiabrado Quaresma foi decisivo na jogada ao cruzar para a zona onde surgiu o jogador da Estónia.

O sexto e o sétimo não tardaram, perante um conjunto da Estónia muito frágil, Quaresma – quem mais! – e com Éder a carimbar um grande triunfo luso. Até ao final, as várias alterações quebraram o ritmo do jogo e viu-se uma Seleção lusa já em gestão de esforço para entrar no Europeu de 2016 na máxima força.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA