Eros porto: 11.ª edição dedicada ao tema da transexualidade

Eros porto: 11.ª edição dedicada ao tema da transexualidade

Centro Gis é convidado de honra

370
0
COMPARTILHE
Foto: Eros Porto

A Eros porto está a chegar à Exponor, de 8 a 11 de Março. Este ano, centrar-se-á no tema da transexualidade e de todos os problemas que os mesmos atravessam em Portugal. Como convidado de honra será a vez do Centro Gis, um de vários projetos da Associação Plano I que intervem nas áreas da igualdade e violência de género e da diversidade social.

“Desrespeito pela autodeterminação no que concerne à identidade de género, agressividade e negligência familiares e discriminação e bullying em escolas ou serviços públicos são alguns dos problemas por que passam os transexuais em Portugal”, expecifica nota de imprensa na organização.

“O respeito pela identidade de género é essencial para que cada um viva plenamente a sua liberdade. Queremos por isso contribuir para esta discussão e destacar o papel e a intervenção que o Centro Gis da Associação Plano i tem tido em Portugal desde o seu início”, explica Juli Simón, diretor do Salão Erótico do Porto.

O direito à autoidentificação e à autodeterminação no que concerne à identidade de género ainda encontra enormes barreiras na sociedade e, quase sempre, os problemas começam no seio familiar. Tal como explica Paula Allen, coordenadora do Centro Gis e psicóloga, “as pessoas transexuais vivem frequentemente situações de enorme agressividade e negligência por parte das famílias”.

Também nas escolas, nos serviços públicos e em outros locais estas pessoas experienciam situações de discriminação e de bullying, o que leva muitas vezes a “quadros de depressão, ansiedade e fobia social”, refere.

Para promover o debate sobre estas questões, o espaço de conferências do Eros Porto recebe, na sexta-feira, dia 9 de março, às 22h, a palestra “A Transexualidade em Portugal”, com a participação de Paula Allen, coordenadora do Centro Gis e psicóloga, e de Zélia Figueiredo, psiquiatra e terapeuta sexual pela Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica (SPSC) e Terapeuta Familiar pela Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar (SPTF). Na Exponor, para além da distribuição de material contracetivo e informativo, o Centro Gis vai ter um espaço dedicado às questões LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), com técnicos/as especializados/as para prestar todas as informações e apoio.

O que é o “ Centro Gis”?

O Centro Gis é um de vários projetos da Associação Plano i que, desde 2015, intervém nas áreas da igualdade e violência de género e da diversidade social. Disponibiliza a pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo (LGBTI) e a familiares serviços gratuitos e especializados, nomeadamente aconselhamento jurídico, formação e consultadoria, bem como atendimento telefónico 24h. O seu âmbito de atuação prioritário é a violência doméstica e de género, integrando a rede nacional de apoio a vítimas de violência doméstica. O nome do Centro Gis surge numa sentida homenagem a Gisberta Salce Júnior, uma mulher imigrante brasileira, transexual, seropositiva, toxicodependente, trabalhadora sexual e sem-abrigo que, em 2006, foi assassinada, depois de brutamente espancada e violada por um grupo de adolescentes no Porto. Só em 2017, o Centro Gis efetuou mais de mil atendimentos, contando atualmente com 155 utentes, dos quais mais de metade são pessoas transexuais.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA