A importância da aposta na educação pelos municípios

A importância da aposta na educação pelos municípios

297
0
COMPARTILHE
Armando Leal - JS Paredes

Tendo em conta que os atores políticos são seres racionais que atuam em prol de um objetivo, (o de serem reeleitos) aumentando, por exemplo, a rubrica das despesas de capital para o poderem concretizar, qual o impacto de um município possuir uma população instruída e formada neste aspeto? É sabido que quanto maior for o grau de formação académica de um eleitor, mais capacidades ele tem de captar, observar e analisar informação, para além de possuir uma postura mais crítica perante as decisões politicas tomadas pelo executivo municipal. Será que uma população menos instruída é mais facilmente ludibriada e recompensa edis camarários que adotam esta postura?
“A despesa de capital compreende as transferências de capital, sob a forma de subsídios ao investimento e outras transferências de capital, bem como as despesas de investimento: formação bruta de capital e aquisições líquidas de cessões de ativos não financeiros não produzidos. Em contabilidade pública o conceito de despesa de capital inclui ainda as aquisições de ativos e passivos financeiros.”(1)
Assim, despesas de capital são as quantias dispendidas na aquisição de máquinas e equipamentos, realização de obras, aquisição de participações acionárias de empresas, aquisição de imóveis, concessão de empréstimos para investimentos. A realidade complexa que atravessamos requer que tomemos decisões a nível pessoal, económico, politico, profissional ou social. Competências como: chegar a uma decisão, juntar os factos mais relevantes, saber analisar e comparar diferentes pontos de vista e conseguir chegar à conclusão mais acertada são competências necessárias para alcançar o sucesso e que se adquirem principalmente na universidade. Quanto maior for o grau académico de um eleitor, menor poderá ser o valor da rubrica da despesa de capital do seu município. O facto de um munícipe ser licenciado faz com que, para além de ter uma postura crítica mais vincada, seja alguém que procure com maior facilidade a informação e, por isto, esteja assim mais informado. O facto de ser maior conhecedor desta leva a que não seja tão facilmente ludibriado, levando-o a reprovar atos despesistas que apenas servem para que o autarca cumpra o seu objetivo, a reeleição.
Deste modo, conclui-se que emerge a necessidade por parte dos municípios de apostarem e criarem condições que propiciem o ingresso no ensino superior dos seus munícipes, assim como a promoção de um acompanhamento de modo a que não existam abandonos por parte destes.
O artigo que vos apresento é resultado de um trabalho que efetuei na Universidade e portanto não podia de deixar de agradecer ao meu grande amigo e colega Marcelo Silva, quer por ter trabalhado comigo, quer por me permitir a sua exposição.

(1) conceito retirado do Glossário de termos das Finanças Públicas Versão 1.0 (Abril 2015)).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA