Comandante dos Bombeiros Lousada apontou aposta na formação e aquisição de equipamentos...

Comandante dos Bombeiros Lousada apontou aposta na formação e aquisição de equipamentos de proteção individual como metas

José Carlos Aires assumiu, também, ser necessário apostar na reorganização do quadro ativo e na renovação do parque automóvel.

157
0
COMPARTILHE

José Carlos Aires, de 54 anos,natural de Baltar, com uma vasta experiência como bombeiro foi empossado como novo comandante dos Bombeiros de Lousada.

Além de bombeiro, José Carlos Aires é industrial de profissão.

Numa intervenção emocionada, o novo comandante agradeceu a escolha da direção e dos demais órgãos sociais da associação para liderar o corpo ativo, assumindo que fazê-lo representa uma responsabilidade acrescida.

O novo comandante afirmou que presidir à chefia do corpo ativo dos Bombeiros de Lousada representa um novo marco na corporação quase centenária e apontou como desafios a aposta na formação, na aquisição de novos equipamentos de proteção individual e a remodelação do parque de viaturas.

Falando do parque de viaturas, José Carlos Aires reiterou que o corpo de bombeiros está dotado com os meios suficientes, salientando, no entanto, ser necessário devido ao desgaste  dos carros, proceder à renovação de algumas viaturas, assim como adquirir equipamento de proteção individual, deixando, desde logo, um apelo à Câmara de Lousada para que ajude neste esforço.

“É difícil manter essa renovação. Os equipamentos são caros e quando são duplicado pelo número de bombeiros torna-se quase impossível às direções conseguir essa renovação. Para isso, também, conto com o apoio das entidades públicas e da sociedade civil em geral. Deixo aqui um pedido ao presidente da câmara para que ajude a corporação de Lousada na aquisição desses equipamentos”, afiançou, recordando que o concelho de Lousada tem uma considerável componente industrial, cerca de 50 mil habitantes, variáveis que colocam desafios constantes para quem tem a responsabilidade de socorrer a comunidade.

O recém-empossado chefe do corpo ativo reafirmou, também, a necessidade de implementar uma maior proximidade entre o corpo de bombeiros e as empresas com o intuito  de promover a segurança, a formação e a sensibilização dos seus colaboradores no que respeita à ação dos bombeiros em casos de sinistros extensível a toda a população lousadense.

“Apostar na juventude como garante da continuidade do voluntariado, com ações de sensibilização nas escolas do concelho uma vez que  é cada vez mais difícil atrair jovens para resta causa”, acrescentou, deixando uma palavra de apreço aos bombeiras e bombeiros pela forma como o acolheram.

Antero Correia, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lousada, realçou a capacidade técnica e humana do novo comandante destacando que com a entrada José Carlos Aires inicia-se uma nova etapa na corporação.

“O caminho vai-se fazendo com a calma e a parcimónia que são necessárias. Nada nasce perfeito, tudo é uma construção… Nomear um comandante para este corpo de bombeiros é uma tarefa fácil, difícil mesmo é encontrar a pessoa certa para tão nomeação. E por incumbência da direção foi sobre mim que recaiu essa árdua tarefa. Eu e toda a direção sempre tivemos plena consciência do perfil que pretendíamos. Impunha-se encontrar uma pessoa, um bombeiro, pleno de coragem para assumir a penosa, mas estimulante missão de comandar, liderar e guiar este corpo de bombeiros. Eis que na primeira conversa estava convencido que estava perante a pessoa indicada. Este corpo de bombeiros precisa de um comandante bombeiro …Sinto-me reconhecido e grato a todos os membros da minha direção pela confiança que demonstraram na minha escolha. Lutamos todos os dias para alicerçar  o presente e o futuro desta associação, fortalecer, formar e enaltecer o trabalho, a dedicação e sacrifício do corpo de bombeiros, são os objetivos que pretendemos”, sustentou.

Antero Correia, no seu discurso, definiu vários objetivos que a direção espera que o atual comandante cumpra.

“A missão e os desafios  que o esperam são árduos e espero que tenha a noção que esta direção quer elevar com o esforço de todos este corpo de bombeiros a patamares nunca antes alcançados, a desafios nunca antes enfrentados e a uma condição que nos torne distintos e distinguíveis junto de outras corporações. Há muito para fazer e no meio de tudo isto há um pedido especial da direção, com o nosso apoio é necessário alavancar uma reestruturação/reorganização do corpo de bombeiros e que o quadro de comando seja preenchido”, concretizou.

O presidente da Câmara de Lousada, Pedro Machado, reconheceu que os bombeiros no concelho são a instituição pela qual a comunidade nutre mais simpatia e mais se identifica.

“São 93 anos de história, dedicação à causa pública, numa função nobre e corajosa expressa no lema Vida Por Vida. É para mim uma enorme satisfação partilhar convosco este momento que sinaliza um novo ciclo para esta associação que engrandece o concelho, a região e o país”, sublinhou, reconhecendo que é fundamental que haja estabilidade ao nível do comando.

“Sei que como pessoa atenta já se informou e sabe que ao longo dos tempos tem existido uma estreita colaboração entre os bombeiros e a câmara municipal e essa relação de colaboração será para manter. A proteção civil é cada vez mais importante infelizmente por todas as razões que sabemos e pelas tragédias. Para qualquer autarca, a proteção civil é cada vez mais uma das principais preocupações e os bombeiros a par da câmara são os principais elos da proteção civil e por isso, por parte de qualquer câmara municipal, há todo o interesse e em Lousada é isso que acontece que as coisas corram bem e tudo funcione”, asseverou, relevando a decisão da direção dos Bombeiros de Lousada pela escolha.

“É uma decisão de grande responsabilidade porque tem efeitos para o futuro. Há responsabilidades que quando menos se espera advêm do exercício de funções públicas e quando se trata de bombeiros é chocante para mim que se culpe um bombeiro ou um comandante ou uma chefia por algo que não correu como devia e foi isso que aconteceu nas tragédias do Verão. Ninguém acredita, eu não acredito, que essas tragédias tenham acontecido por culpa dos bombeiros. Quem assume um cargo desta responsabilidade só pode ser um grande honrem”, manifestou.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA