Dia Internacional da Pessoa com Deficiência: Inclusão num carro de Rally

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência: Inclusão num carro de Rally

O piloto lousadense António Dias “Tó Peças”, que compete no nacional de ralis, proporcionou uma tarde repleta de adrenalina aos utentes da Obra Social e Cultural Sílvia Cardoso

409
0
COMPARTILHE

Foi com as pernas a tremer e “borboletas no estômago” que sete dos utentes da Obra Social e Cultural Sílvia Cardoso saíram do bólide de ralis tripulado por António Dias “Tó Peças”. Mas apesar dos efeitos provocados pela adrenalina, todos eles insistiram para repetir a experiência e dar mais uma voltinha ao traçado do Eurocircuito da Costilha, onde decorreu esta iniciativa, promovida pela referida associação e inserida numa das várias atividades de sensibilização e inclusão das pessoas com deficiência e/ou incapacidades que realizaram na semana em que se assinalou o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência (3 de dezembro).
Esta iniciativa surgiu no âmbito de um projeto que o piloto natural de Lousada está a elaborar há cerca de um mês, o ‘Feel and Dream Competion For All’, que consiste em montar uma escola para proporcionar estas experiências a pessoas com dificuldades, quer de mobilidade quer financeiras (existe mesmo já contactos com o CAL para acolher a escola precisamente na Pista da Costilha).


“A ideia é que todos possam ter estas experiências uma vez na vida e sentir o que é estar dentro de um carro de competição. Sendo esta a semana que se assinala do Dia da Pessoa com Deficiência conseguimos fazer esta atividade com pessoas com mobilidade reduzida, pois eu não considero deficientes, porque todos somos iguais, mas com capacidades diferentes”, disse António Dias.
O piloto recordou os tempos em que era apenas e só um aficionado dos desportos motorizados, justificando que por esse motivo esta foi uma experiência enriquecedora também para ele próprio: “O meu maior gosto quando estava da parte de fora era, como se costuma dizer na gíria, sentar o traseiro num carro competição. Mas esse é um desejo que leva o seu tempo e nem sempre é fácil e isto para mim é gratificante porque faz-me lembrar os tempos em que eu não tinha sequer possibilidade de estar dentro de um carro de competição e é gratificante porque vejo também a alegria deles e não há dinheiro que pague essa satisfação, assim como a adrenalina e aventuras que se vivem dentro do carro”.

Mara Coelho, diretora técnica da área da deficiência da associação, sediada em Paços de Ferreira, confirmou que esta foi uma das várias atividades planeadas para esta semana: “Ao longo do ano, e sempre que pudemos, tentamos sempre proporcionar aos utentes experiências diferentes. Contudo esta é uma semana em que planeamos algumas atividades de sensibilização e de inclusão até porque ontem (dia 3) assinalou-se o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência e estavam previstas algumas atividades neste âmbito. Procurámos que esta fosse de inclusão, porque dificilmente eles poderiam ter uma oportunidade destas”.
Apesar de mostrar receio inicial, Mara Coelho, motivada e desafiada pelos seus “alunos” acabou por ceder e também ela cumprir uma volta no lugar do navegador, deixando palavras de agradecimento e o desejo de voltar: “Agradecemos imenso esta oportunidade e disponibilidade de toda esta equipa, naturalmente que sozinhos não conseguiríamos dinamizar esta iniciativa e obviamente que se surgir nova oportunidade estamos disponíveis para voltar a repetir e se calhar dar a oportunidade a outros utentes porque hoje estão cá só alguns”.
No final António Dias distribuiu autógrafos, deixando para a sua esposa a frase de despedida “Saímos de coração cheio. Eles dão-nos mais a nós do que nós a eles”.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA