Domínio absoluto de Pedro Tiago na A 1600

Domínio absoluto de Pedro Tiago na A 1600

63.º Ralicross de Lousada – Costilha recebeu abertura da época

542
0
COMPARTILHE

Seguiu-se uma das mais aguardadas finais do dia, a da categoria A 1600, que poderá começar a ser designada de “final lousadense”, pois dos oito pilotos na grelha de partida seis eram da casa. Quanto à competição nada de novo. O campeão em título Pedro Tiago, que ganhou tudo o que havia para ganhar em 2018 (sete corridas em sete, mais a taça) entrou a revelar domínio absoluto, somando a totalidade dos pontos. Largando da pole position, o piloto do Citroen Saxo da “Capital Car” assegurou a posição à frente de Luís Morais (Peugeot 106 Gti) que na segunda curva cedeu a posição para Leonel Sampaio (Citroen Saxo). Com uma condução consistente Pedro Tiago foi dilatando a distância para os perseguidores e quando, na última volta, entrou na joker lap já detinha uma vantagem demasiado grande para ser obrigado a arriscar e só teve de levar o Saxo até à linha de meta.


“Correu muito bem. Este fim de semana era uma lotaria, porque com esta chuva é tudo muito incerto. Mas, nunca baixámos os braços e conquistamos o máximo de pontos possíveis”, disse o campeão em título que confessou ainda não ter uma opinião sobre as capacidade da concorrência: “Nós estamos iguais ou até mais fortes que o ano passado e vamos lutar pelo título novamente, mas há ainda muita água para passar debaixo da ponte. Esta foi a primeira a primeira prova e consegui ganhar com uma diferença significativa. Quanto à concorrência, nesta condições não dá para avaliar, só quando corrermos em piso seco é que dará para ver a verdadeira potência dos carros”.


Leonel Sampaio aguentou a segunda posição que assumiu ainda na primeira volta, mas depois de concluir a corrida foi penalizado com 1 minuto e caiu para 5.ª posição. Sobre a penalização que lhe retirou a possibilidade de subir ao pódio, Leonel Sampaio, considerou-a de certa forma injusta: “Travei, tentei evitar o toque, mas o estado do piso, cheio de lama, não o permitiu. Acho que não deveria ter sido penalizado, mas se é que merecia uma penalização, esta deveria ser bem menor do que a que me foi aplicada”.
Assim, Luís Morais acabou por subir ao lugar intermédio do pódio e Américo Sousa ao degrau mais baixo. Tiago Ferreira, também de Lousada, foi 4.º.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA