Lousada “B” empata em Lagares e Aparecida perde antes do dérbi

Lousada “B” empata em Lagares e Aparecida perde antes do dérbi

340
0
COMPARTILHE

O Lousada “B” foi a Lagares conquistar um ponto, num jogo muito disputado e quezilento em que o Lousada entrou melhor e a criar a primeira situação para marcar com João André a acertar no poste, na sequência de um pontapé de canto. Numa fase em que o Lousada estava por cima, foi o Lagares a festejar após o golo de Wesley que concluiu um rápido contra-ataque.
Os Lousadenses não acusaram o golo e continuaram a tentar alvejar a baliza contrária, quer com cruzamentos para a área quer com remates de meia distância, mas sempre resolvidos com eficácia pela defesa e guardião dos felgueirenses.
A perder, o Lousada acentuou ainda mais a pressão na etapa complementar, mas só chegou à igualdade à entrada para os derradeiros 10 minutos. Após um livre lateral, Faria surgiu ao primeiro poste a desviar para o fundo das redes. O golo galvanizou a equipa que partiu para uma reta final emocionante, com ambas as equipas a terem oportunidade para somar os três pontos. Por duas vezes Luís Paulo apareceu em boa posição na área, mas na primeira não recebeu nas melhores condições e na segunda serviu Piri, mas este escorregou na hora do remate final. NO último lance da partida, Chico, com um corte primoroso, impediu o golo aos homens da casa.
No final, o treinador do Lousada, João Rodrigues, classificou de positiva a atuação da equipa, mesmo não conquistando os três pontos: “Foi um jogo bem disputado em que o Lousada se exibiu a grande nível e pecou apenas na finalização”.
A única vitória da equipa foi no dérbi com o Caíde de Rei e o técnico espera repetir o feito já no próximo sábado, na receção ao Aparecida: “Vai ser um jogo difícil frente a um adversário que aposta na subida, embora não esteja a ter o melhor arranque de época, mas é sempre um jogo especial. Em nossa casa, com o apoio dos nossos adeptos, obviamente, que vamos querer fazer a diferença”.

Já o Aparecida não tem sido capaz de dar sequência ao íncío prometedor com o triunfo em Gens e averbou no domingo a terceira derrota consecutiva. Num jogo nem sempre bem jogado onde predominou mais o aspeto físico em detrimento do tático, a primeira parte terminou sem grandes oportunidades à exceção de uma tentativa de canto direto do Bougadense, salvo em cima da linha e duas incursões de Pedro Moreira pela linha, cujos cruzamentos poderiam ter encontrado melhor definição.
Na segunda parte, a toada manteve-se a mesma e numa fase em que o Aparecida arriscou mais, acabou por sofrer o golo numa bola bombeada para a frente e Sousa apareceu nas costas do central da casa para atirar para o fundo da baliza. Nos poucos minutos que faltavam para jogar o Aparecida ainda tentou amenizar os estragos, mas foi incapaz de evitar nova derrota.
Sérgio Magalhães, treinador do Aparecida, quis desmistificar a idéia de que o Aparecida é candidato à subida, até porque acredita que a equipa poderá estar a ser prejudicada por essa condição: “O Aparecida é candidato a ganhar todos os jogos. Deixem-nos andar descansados e fazer o nosso trabalho. Estamos aqui para lutar e depois logo se vê”.
Sobre o dérbi do próximo sábado, o técnico espera um jogo emotivo entre duas equipas que estão separadas por apenas 1 ponto: “É um jogo em que os jogadores estão mais motivados e as equipas apresentam-se com os níveis altos de otimismo. Espero que seja um bom jogo e que vença o melhor e, obviamente, que pretendemos ganhar e dar a volta à situação”.

O Caíde de Rei encontra-se igualmente numa posição complicada da tabela classificativa (lanterna vermelha) e a tarefa do fim de semana não era fácil, mesmo jogando em casa. Apesar da boa réplica oferecida aos atuais líderes, os caidenses não foram eficazes durante toda a primeira parte, período em que foram superiores, obrigando o guardião marcoense a intervenções de grande nível, e acabaram derrotados (0-2).
Depois de entrar bem no jogo e construir situações para marcar, o Caíde sofreu o primeiro golo já perto do descanso, com Juca a finalizar uma rápida jogada que apanhou desprevenida a defensiva da casa.
Após o reinicio, os marcoenses dilataram a vantagem. A perder por 2-0 frente a um dos candidatos à subida e com um plantel jovem e poucas opções ofensivas, Pedro Ribeiro colocou o central Diogo Neto como ponta de lança, mas o resultado já era confortável para os visitantes que limitaram-se a gerir o ritmo do jogo e ainda apontaram um terceiro golo, invalidado por fora de jogo.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA