Lousada e a malapata da compensação

Lousada e a malapata da compensação

186
0
COMPARTILHE

O Lousada perdeu na tarde deste domingo na receção ao Tirsense, numa partida em que a “estrelinha” nada quis com a equipa da casa.
Depois de partir para o descanso a vencer com um golo de Quim, os lousadenses não foram capazes de segurar a vantagem e permitiram a reviravolta dos jesuítas na segunda parte. Primeiro numa grande penalidade e depois numa infelicidade de Miguelito que marcou na própria baliza, no último dos quatro minutos de compensação.
O Tirsense esta época aposta claramente na subida e para isso construíram um plantel com jogadores experientes, inclusive com passagem pela Primeira Liga, mas o início de jogo foi algo atípico e apesar de querer assumir o controlo da partida nunca o fez com acutilância. Por sua vez, os lousadenses, mais na expetativa, foram explorando algumas debilidades no setor mais recuado e pertenceu-lhes mesmo a primeira ocasião de perigo da partida. Já depois de perder Ima por lesão aos 10 minutos (estiramento do músculo da coxa), Artur com um grande passe em profundidade para as costas da defesa dos visitantes, isolou Quim com este a entrar na área e a rematar ligeiramente ao lado do poste.
Sem grandes apontamentos de registo em toda a primeira parte foi o Lousada que abriu o marcador. Quim aproveitou um mau atraso de Rui Sousa para o seu guardião e depois de o contornar, atirou para a baliza deserta, decorria o minuto 39.


Nos descontos da primeira parte, os locais poderiam ter “matado” o jogo. Ricardo Passos, que entrou a substituir Ima, com um belo passe de rutura deixou Miguelito na cara de Christian, mas o guardião fez bem a mancha e impediu aquele que seria o segundo golo do Lousada.
Para a segunda parte, os visitantes foram na busca do prejuízo, mas a defesa do Lousada mostrou-se em grande nível e não foi dando grandes veleidades aos avançados. Mas, à passagem do minutos 66, num lance aparentemente inofensivo, o Tirsense chegou ao empate. Cruzamento para a área, João Cunha saltou e agarrou o esférico, mas na queda chocou com o companheiro e largou a bola. Na confusão que se seguiu o remate do avançado levou a bola a embater no braço de Miguelito. O árbitro apontou para a marca dos onze metros e Bobô restabeleceu a igualdade.
O golo galvanizou a turma visitante que apesar da muita vontade demonstrada em mudar o rumo dos acontecimentos, nunca foi capaz de entrar com a bola controlada dentro da área lousadenses, limitando-se a efetuar cruzamentos, resolvidos com eficácia pelos locais.


E, foi no último minuto da compensação que aconteceu o lance do jogo. Beneficiando do adiantamento dos visitantes, o Lousada encetou um contra-ataque por intermédio de Rafinha, que ainda sofreu uma falta, mas aguentou e deixou para a desmarcação de Quim. Junto à linha o experiente avançado sofreu um ligeiro toque e ficou a reclamar falta que não foi concedida. Rapidamente o defesa colocou a bola na área do Lousada, onde Miguelito saltou junto com Bobô e, inadvertidamente, colocou a bola na sua própria baliza.
De seguida o apito final e pelo segundo jogo consecutivo em casa, o Lousada deixa escapar pontos no período de compensação e novamente debaixo de grandes protestos dos adeptos para com a equipa de arbitragem.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA