Lousada e Rebordosa empatam sem golos

Lousada e Rebordosa empatam sem golos

Equipa comandada por Tonanha está a uma vitória de garantir um lugar na fase de subida

477
0
COMPARTILHE

Depois do triunfo, que se revelou capital, no dérbi frente ao Aliados de Lordelo, o Rebordosa empatou na deslocação ao vizinho Lousada que vinha da sua pior série da época (4 derrotas consecutivas).
Um jogo interessante de seguir que terminou sem golos, mas com várias oportunidades construídas por ambos os conjuntos. O Rebordosa deu o primeiro sinal de perigo logo após o apito inicial com Migas a cabecear para uma defesa apertada de João Cunha que levou a bola ainda a bater na barra.
Frente ao líder e perante os seus adeptos, os lousadenses queriam apagar a má imagem deixada nas últimas jornadas, em particular na goleada sofrida em Vila Meã no domingo anterior, e depressa assumiram o controlo do jogo, tendo sido a equipa com maior domínio e ocasiões em toda a primeira parte.
Aos 8 minutos, Miguelito ganhou em velocidade ao opositor no corredor esquerdo, mas depois faltou um companheiro a quem servir e tentou o remate cruzado que saiu ao lado. Cinco minutos depois, Carlos furou por entre três rivais e já dentro da área atirou rasteiro para uma defesa incompleta de Luís Barros que ainda foi a tempo de travar a recarga de Topas. Numa das melhores jogadas da etapa inicial, Carlos, na pequena área, não deu o melhor seguimento a uma assistência perfeita de Topas.
Aos 42 minutos, os visitantes estiveram muito perto de abrir o marcador. Hugo Alves ganhou um ressalto na área e depois de tirar os dois centrais da frente rematou forte à malha lateral.
Ainda antes do intervalo, os lousadenses criaram mais uma situação de perigo num corte defeituoso de Xandão, após cruzamento de João Rafael, que quase resultou num autogolo.


Na segunda metade inverteram-se os papéis. O Lousada diminuiu a intensidade e o Rebordosa assumiu o jogo acercando-se mais vezes com perigo da baliza contrária. Cláudio na pequena área tirou Topas da frente e tentou meter no buraco da agulha, mas João Cunha estava atento e defendeu para canto. Depois foi Xandão a aparecer na pequena área e quando se preparava para fuzilar as redes, Dani Nogueira com um corte primoroso aliviou o perigo.
As melhores oportunidades acabaram por sair dos pés de Mazzardo que saltou do banco para o lugar de Migas. Na primeira entrou na área e tentou colocar ao poste mais distante, mas a bola sai ligeiramente ao lado. Na segunda, desperdiçou a melhor ocasião de toda a partida. Na sequência de uma jogada de contra-ataque perfeita que começou em Cláudio, passou por Frazão e Ricky, o esférico chegou ao avançado brasileiro que na área e com a baliza escancarada atirou por cima da barra.
Uma igualdade que acaba por se justificar face à produtividade das duas equipas em partes distintas do jogo.

Pedro Vilaça
“Mais próximos daquilo que nos caracteriza”

Pedro Vilaça apresentou de início aquele que durante grande parte da temporada foi o seu onze base e isso resultou na melhor exibição da segunda volta de acordo com o técnico lousadense, embora tenha considerado que a diferença esteve na concentração: “Este foi provavelmente o jogo mais conseguido da nossa equipa nesta segunda volta. Acima de tudo o que foi diferente dos últimos jogos foi a concentração competitiva que a equipa apresentou. Apesar de termos cometido alguns erros, já estivemos muito mais próximos da imagem que nos caracterizou durante a primeira metade do campeonato. Foi um jogo aberto onde as duas equipas procuraram a vitória acabando por desperdiçar as oportunidades que foram surgindo. Era importante mantermos esta capacidade de concentração, para sermos competitivos nestes quatro jogos que faltam para terminar o campeonato”.

Tonanha
“Aceitava-se melhor um empate com golos”

O treinador do Rebordosa, Tonanha, considerou justa a divisão de pontos, mesmo tendo visto a sua equipa criar mais situações para marcar: “Foi uma primeira parte equilibrada e não muito bem conseguida da nossa parte, mas melhoramos na segunda e demos uma imagem do nosso real valor e tivemos mais oportunidades. Aceitava-se melhor um empate com golos, mas a haver um vencedor seria o Rebordosa que no cômputo geral foi melhor”.
Com um lugar na fase de subida praticamente garantido, falta conquistar 3 pontos nas 4 jornadas que faltam disputar (isto se o 3.º vencer todos os jogos), aproveitou para rodar atletas precavendo um campeonato que se antevê mais longo: “Não estivemos na nossa máxima força, não por menosprezar o adversário, mas por uma gestão nossa. Tínhamos atletas tocados e lesionados e a margem de que dispomos, depois de ganhar ao Aliados, permite-nos fazer essa gestão”.
Do outro lado Tonanha encontrou uma equipa aguerrida que, mesmo estando a cumprir apenas calendário, quis deixar uma imagem positiva frente ao líder: “É normal que todos queiram vencer ao 1.º. Tem sido assim desde o início do campeonato e no domingo com o Vila Meã não será diferente”.
Refira-se que em caso de vitória na receção ao Vila Meã, o Rebordosa poderá fazer, aquela que se espera ser, a primeira festa da época.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA