Lousada Indoor Open: Portuguesas seguem firmes para os “quartos”

Lousada Indoor Open: Portuguesas seguem firmes para os “quartos”

200
0
COMPARTILHE
Almudena Sanz

Eram apenas duas as jogadoras portuguesas ainda em prova nos singulares e conseguiram manter-se com as mesmas aspirações a chegar longe. Francisca Jorge e Inês Murta defrontaram e venceram as suas oponentes em encontros diferentes, muito por culpa das adversárias. Comecemos por Francisca Jorge.

A primeira cabeça-de-série e detentora do título tinha pela frente uma tenista que a conhece bem, a sua companheira de pares, Olga Parres Azcoitia. Depois do equilíbrio no primeiro set, Kika conseguiu o break no 12.º jogo e fechou a primeira partida por 7-5. No segundo parcial, a vimaranense esteve sempre na liderança e concluiu a passagem para os quartos de final com um confortável 6-2.

Já a algarvia Inês Murta, foi tão pragmática e eficaz que nem permitiu que a sua adversária, a jovem francesa Selena Janicijevic, respirasse. Aplicou-lhe um duplo 6-1 em apenas 1 hora e 03 minutos, numa exibição muito bem conseguida: “taticamente tentei tirá-la (Sanicijevic) da sua zona de conforto, desequilibrando a, obrigando-a a mexer-se no court”, começou por dizer Inês Murta, conluindo a sua análise sobre o que resta da prova: “vou tentar manter o nível a que joguei hoje, corrigindo o que esteve menos bem e vamos ver como corre”, finalizou.

Celia Cervino Ruiz

Igualmente apuradas para os quartos de final estão as francesas Aubane Droguet, Margaux Orange e Carole Monnet, bem como as espanholas Almudena Sanz e Celia Cervino Ruiz.

O destaque do dia foi para o embate entre duas das mais promissoras tenistas presentes em Lousada: a gaulesa Aubane Droguet, de 16 anos, e a checa Linda Noskova, de apenas 15. Se a entrada de Noskova foi triunfante, com a tenista de leste a vencer o primeiro parcial por 6-0, Droguet, que este ano foi finalista de pares no Open dos Estados Unidos (ao lado de Sanicijevic), recuperou da desvantagem com muito mérito, mostrando que quer repetir, pelo menos, o resultado no ano passado (foi finalista vencida). 6-2 e 7-5 foram os resultados conseguidos por Droguet, que não ganhou para o susto, já que teve um match point contra a 4-5.

Margaux Orange, que disputou o qualifying, causou sensação ao afastar a alemã Katharina Hering (2-6, 6-4 e 6-3) e Carole Monnet superou com distinção a alemã Franziska Sziedat, por 6-1 e 6-2.

Almudena Sanz foi mais forte que a compatriota Angeles Moreno, necessitando, para isso, de 2 horas e 36 minutos para o fazer: 6-4, 2-6 e 6-2 foi o resultado. A galega Celia Cervino Ruiz beneficiou do abandono por lesão lombar da russa Natalia Orlova, quando tinha acabado de vencer o primeiro set no tie break, por 7 5.

O Lousada Indoor Open está dotado com 15 mil dólares (cerca de 13.500€) em prémios monetários. A entrada é livre mas com acesso reservado.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA