Mais de duas mil pessoas passaram pela Festa dos Vizinhos em Lousada

Mais de duas mil pessoas passaram pela Festa dos Vizinhos em Lousada

Evento teve como finalidade promover o convívio, fomentar as relações de vizinhança e animar uma das ruas mais emblemáticas da vila de Lousada, a Rua de Santo António.

798
0
COMPARTILHE

Mais de duas mil pessoas participaram na 3.ª edição da Festa dos Vizinhos que decorreu em Lousada, uma iniciativa da União das Freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga e que mobilizo a população local e não só numa das ruas mais emblemáticas do concelho, a Rua de Santo António.

O presidente da União das Freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga, Fausto Oliveira, realçou a adesão da comunidade no evento que além de ter contado com habitantes da união de freguesias se tem afirmando noutras paragens, sendo, também,  um dos eventos emblemáticos da união de freguesias  e da vila de Lousada.

Ao longo da Rua de Santo António, numa extensão de 600 metros, vizinhos e moradores montaram mesas partilhando petiscos, boa disposição e animação constante que se estendeu noite dentro.

“Esta iniciativa é um sonho antigo que queria implementar, que data, já de quando era presidente de Junta de Freguesia de Silvares, ainda a agregação não tinha sido feita, depois de ter visto uma reportagem da Festa dos Vizinhos que começou em França e que hoje está disseminada em vários pontos do país.  Com este evento, a união de freguesias pretendeu proporcionar um espaço de encontro, de convívio, partilha e de fraternidade num ambiente festivo, juntando pessoas da vila, da união de freguesias e que contou com visitantes de várias localidades da região e fora da região”, disse, salientando que vivemos num mundo contemporâneo em que as pessoas quase vivem de costas viradas umas para as outras e quase não se conhecem pelo que estes eventos acabam por ter grande impacto junto da comunidade local.

Falando do número de participantes, Fausto Oliveira referiu que a organização recebeu mais de 1300 inscrições, num total de mais de dois mil visitantes, desvalorizando os números e assumindo que o objetivo da partilha foi conseguido.

“ A questão dos números nunca foi relevante. Sempre quis criar um espaço de memória com objetivo de juntar as pessoas, promover as relações de vizinhança.  Posso garantir que ao longo da noite passaram pela rua mais de duas mil pessoas”, expressou, frisando que a edição deste ano teve cinco pontos de animação distribuídos pela rua, cantores, teatro de rua, concertinas, cantares ao desafio, grupo de bombos e a realização de uma cascata feita por um grupo de amigos numa representação do Monte do Senhor dos Aflitos.

Henrique Leão, de Silvares, realçou o espírito da iniciativa, de partilha e comunhão com que os visitantes encararam o evento.

“Participei pela primeira fez, a convite do meu cunhado, mas é seguramente uma aposta ganha. Além de aproximar os vizinhos, permite o diálogo, a troca de ideias e a animação da rua”, adiantou.

Luís Mendes, de Nogueira, referiu-se à Festa dos Vizinhos como uma iniciativa que  além de promover o contacto interpessoal, contribuiu para projetar a rua de Santo António e incrementar o sentimento e os laços entre a comunidade local.

“Acho que é uma aposta ganha. Além de reforçar a identidade  local é um evento que permite promover a partilha e a troca de ideias”, assumiu.

Maria Sousa, de Silvares,  relevou, também, o incrementar de relações interpessoais e animação que foi uma constante ao longo da noite.

“Já tinha falado com o presidente da União de Freguesia para  que criasse um S. João na rua. Ele avançou com a Festa dos Vizinhos que tem sido um êxito, vai na sua terceira edição, com cada vez mais pessoas da vila e de fora que já conhecem o evento”, concretizou, admitindo que este tipo de eventos ajuda a reforçar a consciência coletiva e o sentimento de pertença das pessoas.

António Ferreira, de Nogueira, afirmou que este evento se deveria repetir mais vezes durante o ano.

“É uma iniciativa meritória, traz as pessoas para a rua, promove o convívio, e aprofunda as relações de vizinhança. Um bem-haja à organização”, manifestou.

Adelino Sousa, de Silvares, reconheceu que a Festa dos Vizinhos é um dos eventos mais emblemáticos da Rua de Santo António e um dos mais bem conseguidos pela União de Freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga.

“A Festa dos Vizinhos é uma excelente iniciativa da União de Freguesia de Silvares que deveria acontecer mais vezes no ano”, sustentou, asseverando que este evento contribuiu para fortalecer os laços sociais.

Duarte Sousa, morador em Silvares, reconheceu que a Festa dos Vizinhos é já um cartão-de-visita da Rua de Santo António.

“Além da Festa dos Vizinhos só falta fazer o S. João. É uma iniciativa que aproxima os habitantes e valeu pela animação, pela música e pelos petiscos”, asseverou.

Fernando Machado, de Felgueiras, reconheceu que este é um evento que além da animação consegue fazer ligações entre vizinhos e fomenta as relações de vizinhança.

Diana Ferreira, de Silvares, assumiu que o evento contribui para  animar a vila e incrementar as relações sociais.

“Num mundo conturbado como o que vivemos em que as pessoas andam sempre apressadas e não têm tempo para estarem umas com as outras, está aqui uma excelente ideia de como promover as relações de vizinhança e incrementar a convivialidade”, atalhou.

O vereador da Cultura, Manuel Nunes, assumiu que a Câmara de Lousada está sempre disponível para se associar a iniciativas como esta.

“É uma boa iniciativa que no essencial que é muito simples, que passa por convidar as pessoas a virem para a rua e tudo o que seja para promover o convívio e a colaboração tem sempre o apoio da autarquia e é um evento a manter”, sublinhou, admitindo que este tipo de evento “casa” com a Rua de Santo António que tem um casario mais apertado, o permite a realização deste tipo de eventos.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA