O Inverno «frio» de 2019

O Inverno «frio» de 2019

Os artigos publicados neste espaço são da inteira responsabilidade dos seus subscritores

121
0
COMPARTILHE

Já lá vão uns bons anos desde o agora celebrado 25 de Novembro, que findou o Verão «quente» de 75. Por estes dias, parece é que, eventualmente, vamos começar a celebrar o 25 de Fevereiro.

O Serviço Nacional de Saúde, mesmo com as visões optimistas e números “animadores” de “apenas” 593 dias de espera, de António Costa, continua a estar pelas ruas da amargura, sem que pareça ter uma solução no horizonte. Os enfermeiros querem as carreiras de volta, os hospitais querem mais e melhores instalações e no fim ficam-se por manter os bombeiros à espera por não terem macas para admitir pacientes. E no fim, são greves para todo o lado, à espera de uma mudança suficientemente impactante.

O sistema de ensino tem visto nas últimas semanas manifestações e escolas fechadas por todo país. É o amianto que ainda existe nas escolas, é a falta de auxiliares operacionais para manter a criançada em segurança, é os professores a agredir alunos, os alunos a agredir os professores e são os professores que querem, também, as carreiras de volta. A visão, novamente, continua a ser baseada naquele já típico sentimento português do “já esteve pior, vamo-nos manifestando”.

Os polícias agora também saíram à rua. É a falta de condições nas esquadras, é o pagaram do seu bolso equipamento que, supostamente, precisam para cumprir as suas funções, querem, novamente, as suas carreiras de volta. E, assim, nasce um Movimento Zero. Um sindicato descentralizado, mesmo a adoptar as modernices da blockchain. Parece é que passa ao lado de todos que nesta blockchain há alguém que está a facturar com os problemas dos polícias e, parece, não são os mesmos.

Três das mais cruciais áreas de um país estão, ao mesmo tempo, a manifestar-se por todo o território. Alguém se lembre que a Estrada Nacional Nº 1 ainda existe, e, quem sabe, poderemos ter o Inverno «frio» de 2019.

João de Sousa

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA