Paredes e Lousada entre os municípios com melhor governação do país

Paredes e Lousada entre os municípios com melhor governação do país

“Rating Municipal Português” analisa um conjunto de indicadores e avalia o melhor e o pior território em termos de governação municipal, eficácia de serviço aos cidadãos, desenvolvimento económico e social, sustentabilidade financeira, num total de 308 concelhos.

2044
0
COMPARTILHE
Fotografia: Câmara de Paredes

Os municípios  de Paredes e Lousada estão entre os melhores municípios a nível nacional no indicador melhor governação, um dos vários itens que consta do relatório do Rating Municipal Português, que foi apresentado esta terça-feira, tendo sido elaborado pela Ordem Dos Economistas.

Neste “rating”, no item Governação, Paredes é mesmo o município com melhor pontuação, surgindo em 17.º lugar, aparecendo Lousada em segundo lugar, no 25.º lugar.

O “Rating Municipal Português” analisa um conjunto de indicadores e avalia o melhor e o pior território em termos de governação municipal, eficácia de serviço aos cidadãos, desenvolvimento económico e social, sustentabilidade financeira, num total de 308 concelhos.

O estudo apresenta os resultados por município por ordem alfabética e os 30 melhores e os 30 piores municípios por ranking. O ranking apresenta, também, para os anos de 2016 e 2018, os 10 melhores e os 10 piores municípios em termos de dimensão do município (pequenos, médios e grandes) e por Região (Norte, Centro, Alentejo, Lisboa, Algarve, Madeira e Açores).

Para a Câmara de Paredes, esta posição representa o reconhecimento do trabalho e mérito do executivo, funcionários e colaboradores da autarquia.

“Vamos continuar o bom trabalho para Paredes ser motivo de orgulho”, referiu o município.

Fotografia: Câmara de Lousada

Numa reação ao ranking, fonte da Câmara de Lousada destacou que o Rating Municipal Português foi realizado este ano pela primeira vez, sendo da total responsabilidade da Ordem dos Economistas.

“De acordo com o autor do estudo, eles não pretendem avaliar autarquias de forma pura e dura, mas sim criar um “radar de informação” para que diversos aspetos possam ser melhorados. Numa análise rápida aos quatro itens que compreendem o Rating, podemos observar que aqueles que diretamente dizem respeito à ação do Município (Governação e Eficiência da Câmara Municipal) estamos nos primeiros 50”, disse, sustentando que dado que é a primeira vez que este Rating foi criado, a autarquia está a analisar as suas conclusões e como chegaram a estes resultados.

“Ao longo dos anos temos visto vários rankings a colocarem-nos em boas posições a nível nacional. Ainda assim, são apenas dados que registamos com satisfação mas que não valorizamos em demasia”, avançou a mesma fonte.

Sobre o 25.º lugar obtido no item governação, a autarquia  assumiu que efetivamente este é um resultado que está diretamente ligado à gestão do município, sendo que esta posição é digna de realçar.

“Apesar de nunca termos tido qualquer contacto com os autores do estudo, trabalhamos todos os dias para continuarmos a promover e a projetar o nosso território, não por causa de possíveis classificações em rankings mas sim para servir o nosso povo”, acrescentou a fonte.

Segundo estudo, da autoria de Paulo Caldas, Lisboa, Porto e Oeiras surgem como os três municípios mais sustentáveis do país (dados de 2018).

Já os municípios de Celorico da Beira, Góis e Alijó surgem como os três municípios menos sustentáveis do país (2018).

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA