Pároco de Paredes nomeado bispo auxiliar do Porto

Pároco de Paredes nomeado bispo auxiliar do Porto

Vitorino Soares manter-se-á em Paredes até 14 de setembro, deixando depois a paróquia de Castelões de Cepeda e Madalena.

938
0
COMPARTILHE

O Pároco de Castelões de Cepeda e Madalena, Paredes, Vitorino Soares, foi nomeado, esta quarta-feira, Bispo Auxiliar do Porto.

O pároco, de 58 anos, revelou ter ficado surpreendido com a notícia da sua nomeação, assumindo com um misto de alegria e responsabilidade acrescida a nova missão para a qual foi designado.

“Foi com grande surpresa e perplexidade. Nunca pensei que pudesse ser nomeado e daí um misto de  alegria e confiança por este voto do Papa Francisco por me ter escolhido e agradeço-lhe este dom que é um dom para mim, mas também para a Igreja do Porto. Por outro lado, este temor, este sentir-me tantas vezes pequenino e fraco mediante este desafio, mas com a Graça de Deus por levar por diante  este novo desafio”, disse, assumindo que esta nomeação é, também, uma responsabilidade maior.

“Em tudo na vida coloco responsabilidade nas pequenas e nas grandes coisas e esta será outra, é nova. De facto é uma responsabilidade maior, mas confio em Deus e nas pessoas que me vão acompanhar”; frisou.

Com a nomeação para Bispo Auxiliar do Porto, o sacerdote Vitorino Soares vai deixar as paróquia de Castelões de Cepeda e Madalena em setembro.

“Infelizmente vou ter de deixar a paróquia onde estive 25 anos.  Para mim foi uma lua de mel que vou  ter de deixar e que se vai romper pela morte de “um dos cônjuges”. Só por causa disso, mais nada.  Vive nestes 25 anos momentos fantásticos que vou recordar. Ainda não saí mas já estou a sentir saudades”, expressou, sustentando que vai celebrar em Paredes os 25 anos de paróquia. a 14 de Setembro, deixando depois em definitivo a paróquias de Castelões de Cepeda e Madalena para enveredar por uma nova missão.

“Depois desta data irei esperar pelas ordens do D. Manuel para a ordenação episcopal e terei de deixar a paróquia”, acrescentou, avançando que as pessoas são uma força e o vão ajudar a concretizar mais esta nova fase da sua vida.

Questionado sobre qual será a reação da comunidade à nomeação do Papa, Vitorino Soares admitiu que não informou a comunidade porque preferiu guardar sigilo e esperar que a nunciatura apostólica desse primeiramente a notícia.

“Se sou pastor também o devo às ovelhas e às pessoas que me têm acompanhado e que me ajudam a ser esse pastor e a descobrir essa presença junto deles e caminhando com eles”, manifestou.

Vitorino Soares é natural do concelho de Penafiel, da freguesia Luzim, tendo na família um irmão também sacerdote na paróquia de Rio Tinto. Recentemente completou  o 34.º aniversário de ordenação sacerdotal.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA