Presidente da Câmara de Paredes pede ao Ministro do Ambiente linha de...

Presidente da Câmara de Paredes pede ao Ministro do Ambiente linha de financiamento para resolver problema do saneamento

Municípios com atraso nos processos de recolha e tratamento de efluentes terão um tratamento de exceção no âmbito do próximo quadro comunitário de apoio.

636
0
COMPARTILHE
Fotografia: Câmara de Paredes

O presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, pediu ao Ministro do Ambiente, Matos Fernandes, que presidiu hoje, à cerimónia do auto de consignação e lançamento da primeira pedra da obra de ampliação e remodelação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Campo, em Valongo, uma linha de financiamento comunitária para resolver o problema do saneamento no concelho.

Citado em comunicado, o autarca paredense revelou que o município terá de fazer um esforço financeiro para revolver a questão do saneamento que rotulou como o mais grave problema do município.

“É um esforço financeiro que iremos fazer de bom grado, pois estaremos a investir na resolução do mais grave problema do Concelho de Paredes”, admitiu.

Citado, igualmente, em comunicado e tendo presente as elevadas carências ao nível da rede de cobertura de saneamento básico de Paredes, o governante assumiu que os “municípios com atraso nos processos de recolha e tratamento de efluentes terá um tratamento de exceção no âmbito do próximo quadro comunitário de apoio”, acrescentando:

“Por motivos de interesse público, há um conjunto de municípios, entre eles Paredes e Oliveira de Azeméis, que têm de ter um tratamento de exceção no contexto do próximo quadro comunitário de apoio para recuperarem do atraso que o objetivamente têm relativamente à recolha e tratamento de efluentes”, disse o Ministro do Ambiente.

O Ministro do Ambiente afirmou estar previsto no “quadro comunitário de apoio que vai começar em 2020 que esses projetos sejam desenvolvidos e possam ser financiados”.

Refira-se que a empreitada hoje iniciada tem um custo total elegível de 5.106.809,76 euros, sendo que 3.293.841,20 euros são de fundos comunitários e a parte restante suportada pelos municípios de Valongo e de Paredes.

A conclusão da nova ETAR está prevista para dezembro de 2020.

A ETAR de Campo, Valongo, foi concebida em 1996 para servir a população das freguesias de Valongo, Campo e Sobrado do concelho de Valongo, bem como as freguesias da Gandra, Rebordosa, Lordelo, Duas Igrejas, Astromil e Vilela do concelho de Paredes.

O projeto de ampliação consiste na construção da terceira linha de tratamento e ajustamentos em alguns órgãos de tratamento, nomeadamente uma etapa adicional no processo de tratamento da fase sólida, que inclui a construção de um digestor anaeróbio mesófilico com aproveitamento do biogás para aquecimento, traduzindo-se num aumento da capacidade de tratamento da ETAR de 51.317 habitantes para 98.278 habitantes.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA