Projeto de jovem de Paredes “Pa-rede” selecionado para a fase final do...

Projeto de jovem de Paredes “Pa-rede” selecionado para a fase final do Orçamento Participativo Jovem

Projeto consiste na criação de uma aplicação que divulgue todas as atividades do concelho direcionadas à juventude, permitindo aos jovens acompanhar tudo aquilo que irá decorrer, em tempo útil.

1051
0
COMPARTILHE

O projeto denominado “Pa-rede” da autoria de Armando Leal e que conta com o apoio de outros jovens, foi selecionado para a fase final do Orçamento Participativo Jovem Portugal 2019 (OP Jovem 2019), uma iniciativa do Governo.

O projecto encontra-se em fase de votação até ao próximo dia 4 de agosto.

Segundo Armando Leal, o projeto consiste na criação de uma aplicação que divulgue todas as atividades do concelho direcionadas à juventude, permitindo aos jovens acompanhar tudo aquilo que irá decorrer, em tempo útil.

A aplicação irá também servir como sistema de recompensa para os jovens que participem nas atividades, de forma a aumentar a adesão dos mesmos.

“Deste modo, este sistema atribuirá pontos por cada atividade em que o jovem participe, pontos estes que posteriormente poderão ser trocados por vouchers que possam ser usadas em lojas parceiras do município”, disse, salientando que a ideia para avançar com o projeto  surgiu através da participação no “Youth Impact Days”, atividade proporcionada pela Câmara Municipal de Paredes em colaboração com a IRIS- Incubadora Regional de Inovação Social.

“Neste projeto, o objetivo passava pela reflexão sobre os problemas e desafios sociais e ambientais do nosso concelho. Após profícuos momentos de discussão e partilha de ideias, e desafiados pelo vereador do pelouro da juventude, Dr. Paulo Silva, decidimos incidir sobre a fraca participação dos jovens nas atividades promovidas pelo município, neste âmbito. Assim, concluímos que os métodos convencionais de publicitação e divulgação das atividades não são os mais efetivos, e que uma ótima alternativa passaria pela criação e desenvolvimento de uma aplicação para smartphones, estando assim ao alcance da quase totalidade dos jovens”, frisou.

De acordo com Armando Leal, a aplicação servirá de ponte entre o município e os jovens, de modo a que estes sejam atempadamente informados sobre as atividades que decorrerão no município.

“Deste modo, a entidade responsável pela aplicação teria que recolher as datas e as informações pertinentes sobre os eventos, disponibilizando estes conteúdos através da app. Assim, seria desenvolvido um calendário interativo, organizado pelos diferentes tipos de atividades, de modo a que qualquer jovem possa criar uma lista de eventos favoritos e segui-los de perto. A ideia é que este seja informado com alguma frequência, através de notificações, sistema idêntico a algumas redes sociais ou plataformas digitais”; avançou, sublinhando que a aplicação permitirá visualizar todos os eventos que sejam promovidos pelo pelouro da juventude do município, mas também outros desenvolvidos por parceiros da câmara, instituições e associações do concelho, grupos de jovens e mais interessados, que tenham como público-alvo os jovens, ou eventos que sejam transversais, no que diz respeito à faixa etária.

Falando do projeto que está em votação, Armando leal confirmou que a gestão da aplicação contou com a colaboração do município de Paredes e pressupõe que seja esta instituição  a facultar os conteúdos necessários para que a aplicação seja o mais útil possível.

“De modo a tornar o objetivo deste projeto eficaz, o município teria que ser um parceiro privilegiado, com o qual manter-se-ia um contacto permanente, de modo a que exista um fluxo de informações pertinentes. Assim, não caberia ao município fazer a gestão da aplicação, mas sim de facultar os conteúdos necessários para que esta fosse o mais útil possível”, afiançou.

Ao nosso jornal, Armando Leal manifestou, também, que a aplicação é suscetível de ser aplicada a outros município.

“Só não acho, como tenho a certeza que irá ser mesmo aplicado. O uso excessivo de processos burocráticos e técnicas convencionais na administração pública faz com que os munícipes se afastem dos seus serviços, especialmente a atual faixa etária de jovens, que nasceu e cresceu permanentemente na era tecnológica, levando estes a procurar meios mais simples e eficazes para procurar informação, como a internet. As estratégias de publicitar os eventos nos espaços físicos das autarquias, de divulgar nos jornais locais ou de enviar uma agenda cultural para casa já não são eficazes. Os jovens procuram encontrar a informação na internet, no facebook ou nas edições digitais dos jornais. Porém, tantas plataformas criam assimetrias de informação, pelo que a criação de uma aplicação seria um método bastante efetivo”, assegurou.

Quanto à votação final que irá decorrer até 4 de agosto, o jovem esclareceu que nesta fase vence o projeto que tiver mais votos e não aquele que tiver mais qualidade.

“Não querendo fazer julgamentos ao procedimento de votação, nesta fase vence o projeto que tiver mais votos, e não aquele que tiver mais qualidade. Quero com isto dizer que é importante existir uma forte divulgação do nosso projeto, de modo a que ele possa ser o vencedor. Se os jovens, especialmente os paredenses, se identificarem com esta lacuna e acharem que esta é a melhor alternativa para combater a fraca participação nas atividades do município, então peço que votem no projeto “PA`REDE”, o número 28 do Orçamento Participativo Jovem. Para tal, devem enviar uma mensagem gratuita para o 4310, com o seguinte texto: Número do Projeto (espaço) Número Completo do Cartão de Cidadão (espaço) autorizo.  Exemplo: 28 134231392ZV1 autorizo”, afirmou, sublinhando que mais importante que votar, será ajudar o grupo a obter um maior alcance, divulgando junto dos amigos, da família, do meio escolar ou nas associações, sejam elas desportivas, recreativas, culturais, entre outras.

Armando Leal manifestou, também, que independentemente do projeto ser o mais votado, o mesmo terá condições para ser implementado, apesar da dificuldade derivada dos custos e meios de produção necessários para conceber a aplicação.

“Entretanto, uma alternativa seria o estabelecimento de parcerias e angariação de patrocínios de modo a cobrir os custos do projeto”, adiantou.

 

 

 

 

 

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA