PSD Paredes faz reparos ao Paredes no Palco mas aprova programa

PSD Paredes faz reparos ao Paredes no Palco mas aprova programa

Segundo oposição programa perdeu dinâmica de itinerância e verificou-se uma diminuição do apoio concedido aos grupos. Vereadora da Cultura contrapõe, afirmando que projeto viu orçamento reforçado, vai para além da própria promoção do teatro e tem como preocupação a criação de um público cultural no concelho.

338
0
COMPARTILHE

O PSD Paredes fez, na última reunião de câmara, alguns reparos ao programa Paredes no Palco, projeto que tem como metas promover a dinamizar  o teatro no concelho, mas acabou por aprovar o documento.

A vereadora sem pelouro, Hermínia Moreira, do PSD Paredes, suscitou algumas dúvidas quanto aos termos propostos, à mudança do nome do programa, à diminuição do apoio concedido assim como ao facto do projeto ter “perdido a dinâmica de itinerância”.

“O PSD acha que deveria ter havido planeamento e uma programação atempada para que fosse feito uma análise prévia do assunto sem que fosse necessário ratificar uma decisão já tomada. De qualquer forma demonstra-se aqui o interesse do município em manter a continuidade do apoio ao teatro amador e isso merece a nossa aprovação até porque essa é mais uma boa herança e que temíamos estivesse a ser rejeitada já que a última edição do PT, a nona., teria sido uma proposta do  anterior executivo e achávamos que relativamente a esse assunto tivesse havido alteração. Mas a verdade é que há mudança do nome de PT Paredes com Teatro para Paredes no Palco. São opções, respeitámo-las obviamente, mas há outra grande mudança que é o facto de se desperdiçar a oportunidade de fortalecer a dinâmica cultural no concelho através do teatro uma vez que se exige apenas a realização de um único espetáculo e em contrapartida a diminuição do apoio concedido aos grupos”, disse a vereadora, reafirmando perder-se neste programa a dinâmica da itinerância.

“Reconhecemos que todo o processo de preparação e ensaios é importante, mas também sabemos que os grupos e o interesse de haver teatro se move pela expectativa do momento em que todo o trabalho pode ser partilhado com o público e essa oportunidade no programa acho que está mais reduzida”, disse, salientando acreditar que os grupos de teatro do concelho são conhecidos pela sua garra e paixão e tudo farão para valorizar a cultura.

“Achamos que os grupos mereciam mais. Mais uma vez a mudança não foi para melhor, no entanto, vamos votar favoravelmente”, acrescentou.

O presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, esclareceu que o orçamento do programa Paredes no Palco foi reforçado.

“A aposta no programa é ainda maior do que no ano passado. O orçamento neste programa aumentou e o que quisemos garantir é que as peças que apoiamos sejam apresentadas em palco, o que no passado nunca se sabia quando as peças eram apresentadas”, adiantou.

Também a vereadora da Cultura, Beatriz Meireles, reforçou que apoio  orçamental ao programa não reduziu, pelo contrário, aumentou.

“Quisemos melhorar a qualidade dos espetáculos e como tal irá existir um acompanhamento diferente. Queremos saber quando é que as peças vão ser apresentadas e além  disso, este executivo optou por apostar na cultura indo além do teatro, estamos a diversificar, achamos que esta opção acabaria por ser mais interessante. Não nos interessa apenas valorizar as associações e o teatro amador, interessa-nos criar público cultural em Paredes, coisa que não há, mas aos poucos estamos a tentar construir. A opção foi política, foi cultural, foi neste sentido”, expressou.

Refira-se que o programa “Paredes no Palco” tem como propóstos incentivar teatro no concelho de Paredes, apostando na formação para jovens, Este programa visa apoiar e incentivar os grupos de teatro das associações de Paredes, através de um conjunto de iniciativas que possam contribuir para uma mudança cultural significativa e sustentada no concelho.

O programa “Paredes ao Palco” irá apoiar e dinamizar a produção teatral nas diversas manifestações artísticas, quer quanto à forma, ao reportório ou ao modo de apresentação, como, o teatro comunitário, de rua, de marionetas, de formas animadas, teatro clássico, teatro contemporâneo, etc.

Decorrente da diversidade de níveis etários dos participantes, o programa “Paredes no Palco” inclui duas opções de participação: “Paredes no Palco” e “Paredes no Palco Júnior”.

Neste sentido, a autarquia e associações assinaram recentemente um protocolo que consiste no apoio aos grupos de Teatro através da disponibilização de recursos financeiros para contratação de monitores/formadores, de forma a contribuir para a progressão artística dos mesmos e para a realização de um espetáculo, no âmbito do programa “Paredes no Palco Júnior” destinado a crianças e jovens dos 6 aos 16 anos, onde se procura proporcionar o gosto pelas artes cénicas, de forma a facultar os conhecimentos necessários à compreensão das manifestações estéticas e culturais e o aperfeiçoamento da expressão artística das crianças e jovens.

O protocolo estabelece, igualmente, um prémio de participação no programa “Paredes no Palco” e “Paredes Júnior” de 150 e 100,00 mil euros, respetivamente.

Prevê, ainda, a realização de um Festival de Teatro Dança e Música, a ser realizado entre maio e junho de 2020, estando previstos três prémios, um de 500 euros para o primeiro classificado, 250 euros para o segundo e 100 euros para o que ficar posicionado em 3.º lugar.

 

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA