Sarabulho Doce de Caíde de Rei obteve 3.º lugar

Sarabulho Doce de Caíde de Rei obteve 3.º lugar

Sete Maravilhas Doces de Portugal - Luís Peixoto acedita que vai dar visibilidade a iguaria, à própria confraria e ao concelho

168
0
COMPARTILHE

A iguaria Sarrabulho Doce de Caíde de Rei, Lousada, obteve o 3.º lugar no concurso Sete Maravilhas Doces de Portugal, na votação distrital.
Luís Peixoto, do Cais Cultural de Caíde de Rei assumiu que a instituição quando formulou a candidatura ao concurso as esperanças eram escassas, uma vez que a Confraria do Sarrabulho Doce de Caíde de Rei tinha sido criada há pouco tempo e esta iguaria encontrava-se de alguma forma esquecida.


“Quando realizamos a candidatura do Sarrabulho Doce às 7 maravilhas doces de Portugal as esperanças eram escassas. A nossa confraria estava recentemente criada e o doce estava esquecido para alguns e desconhecido para muitos. Por isso, voltar a divulgar e promover o doce era, por si só, um desafio. Desta forma, foi com muita euforia que recebemos a notícia que seríamos uma das 7 maravilhas do distrito do Porto, longe de pensar que conseguiríamos obter um honroso 3° lugar. Não esperávamos tal resultado, mas o nosso esforço foi tal que só desta forma foi possível obter este resultado. Entramos na competição com a sensação de satisfação, realização e vitória porque independentemente do resultado, esta era uma oportunidade única para promover e divulgar o sarrabulho doce e a nossa terra de Caíde de Rei”, disse, salientando que a mobilização de apoiantes foi grande, tendo a comitiva de Caíde de Rei estado representada em grande número no programa.
“A maior e mais efusiva claque, dita pelos próprios apresentadores da RTP. O apelo à união de todos os amigos e apreciadores foi ouvido e rapidamente surgiu uma claque que preparou um hino de apoio que se fez ouvir desde Caíde de Rei até ao Cais de Gaia. Vivemos momentos únicos de demonstração de amor ao Sarrabulho Doce e um sentimento de dever cumprido ao atingir um orgulhoso 3° lugar entre os 7 finalistas distrital”, confirmou.


Questionado sobre a importância deste resultado, Luís Peixoto realçou que demonstra o grande potencial do Sarrabulho Doce.
“É um doce único, singelo e com tradição que poderá fazer de Caíde de Rei a capital do Sarrabulho Doce. Este resultado e esta projeção nacional só pode deixar a população orgulhosa. E se este resultado mostra o potencial do doce, por outro lado também demonstra o enorme trabalho e dedicação do Cais Cultural e da Confraria do Sarrabulho Doce em prol da cultura, da gastronomia e das tradições de um território e de uma comunidade. Os resultados obtidos ao longo destes anos só vêm confirmar que este é o caminho certo, faltando apenas a apoio e o reconhecimento merecido por parte das instituições públicas, nomeadamente da Junta de Freguesia de Caíde de Rei que não apoia e não reconhece o nosso trabalho. Aliás, não foi feito pela junta qualquer tipo de apelo à votação no nosso doce ou qualquer tipo de divulgação”, expressou, sustentando que o resultado funcionará como mais um impulso para tornar ainda maior a habitual Festa do Sarrabulho Doce no Cais Cultural de Caíde de Rei.


“No que concerne à gastronomia de Lousada, pensamos que se existe efetivamente um doce de Lousada, esse doce é o Sarrabulho Doce. O trabalho futuro é espalhar o doce pelo máximo de restaurantes para que qualquer visitante possa deliciar-se com um prato de sarrabulho doce”, avançou.
A competição segue agora para as meias-finais, sendo que o Sarrabulho Doce e o Leite Creme (6.º lugar), outros dos doces que representou Lousada na final distrital, estão fora da próxima fase da competição.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA