“Sou um defensor da união das duas cooperativas … a união faz...

“Sou um defensor da união das duas cooperativas … a união faz a força”

Entrevista Francisco Meireles, Presidente da COPAGRI – Cooperativa Agrícola de Lousada, CRL e Adega Cooperativa de Lousada, CRL

323
0
COMPARTILHE

Aproveitando a realização, em Lousada, das IV Jornadas Agrícolas do Vale do Sousa fomos entrevistar o presidente da Cooperativa Agrícola de Lousada, Francisco Meireles, que preside igualmente à Adega Cooperativa de Lousada.
Atualmente a Copagri já detém cerca de 30% da adega e a fusão das duas cooperativas é um sonho antigo de Francisco Meireles, que salientou o papel essencial que a Copagri tem desenvolvido no apoio à atividade agrícola da região tanto económica como socialmente.

YES: Quais são os desafios e as oportunidades que se colocam à agricultura na região?
FRANCISCO MEIRELES: A COPAGRI desenvolve há vários anos um papel essencial de apoio à atividade agrícola da região tanto económica como socialmente. É com muito orgulho que digo que o trabalho que a COPAGRI tem desenvolvido ao longo da sua história e o apoio que tem dado aos agricultores tem contribuído para a melhoria das condições económicas e sociais no concelho por via do desenvolvimento e manutenção da atividade agrícola e de todas as atividades que direta ou indiretamente estão ligadas a este setor.

YES: O que é que se pretende com este certame e quais os objetivos e as metas a atingir?
FM: Com este certame pretende-se realçar e dinamizar a agricultura do concelho de Lousada, que é um concelho de terras muito férteis e com bastante potencial para esta área, com enfoque para a viticultura.

YES: Quais as culturas predominantes na região?
FM: As culturas predominantes da região são hortícolas, vinha e forragens de milho (silagem).

YES: Na sua ótica, qual ou quais as culturas que têm potencial para crescer e projetar a região?
FM: Na minha ótica, a cultura que mais tem crescido e com potencial no nosso concelho é a vinha.

YES: É um defensor da fusão entre a Copagri e Adega Cooperativa. Considera que este é o modelo que melhor defende os interesses do concelho?
FM: Sou um defensor da união das duas cooperativas, porque acho que com essa junção tornamos uma Cooperativa e uma Adega mais fortes, mais competitivas, uma vez que a união faz a força.

YES: A Adega Cooperativa tem desenvolvido várias ações de benchmarketing no sentido colocar os seus produtos no mercado e conquistar novos públicos-alvo. Quais os mercados que considera serem mais relevantes e que podem trazer ganhos acrescidos para a região?
FM: Os mercados a conquistar seria a exportação dos vinhos, que passariam a ser mais valorizados, como temos constatado com os vinhos verdes que a cada ano aumenta a sua exportação.

YES: A presença de um ex-ministro da Agricultura é uma oportunidade para o setor?
FM: São ministros de épocas diferentes, hoje em dia, a agricultura está mais desenvolvida, tanto nas culturas como na mecanização, o que torna os processos mais produtivos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA