Toni, Daniel Ramos e Miguel Lopes encerraram “Há Bola na Vila”

Toni, Daniel Ramos e Miguel Lopes encerraram “Há Bola na Vila”

222
0
COMPARTILHE

Terminou na noites deste sábado, no Auditório Municipal de Lousada, o ciclo de três conferências do “Há Bola na Vila”, iniciativa promovida pela LADEC em parceria com a autarquia local.
O tema desta 3.ª noite foi “Da Rua à Alta Performance”, e teve como intervenientes Miguel Lopes, Daniel Ramos, António Oliveira, conhecido por “Toni”.
O treinador Daniel Ramos, atualmente no Rio Ave, e Toni, com uma longa carreira de jogador do Benfica, clube onde desempenhou também a função de treinador, deixaram os seus testemunhos do que era o futebol de rua na sua infância. O técnico que passou por diversos emblemas do Médio Oriente e Ásia falou ainda algumas aventuras da sua passagem pelo Instituto Salesiano e do Anadia, clube da sua terra. Recordou também a sua primeira bola de futebol (que durou apenas uma noite) e as bolas de trapos com que jogava, sem esquecer a matança do porco e da metamorfose da bexiga do suíno para uma bola.

Miguel Lopes, relativamente mais novo que os outros dois conferencistas, também abordou as aventuras futebolísticas da sua infância, mas a sua palestra incidiu na sua tese sobre o futebol de rua. Atualmente adjunto de Rui Quinta no Lusitânia de Lourosa, Miguel Lopes teve uma curta passagem pela AD Lousada no início do milénio, passando ainda diversas épocas na formação do FC Porto. Na exposição o jovem técnico salientou a importância dos miúdos cumprirem regras, mas serem também autónomos para não ficarem “castrados” das suas potencialidades e criatividade.
E, porque nem todos os miúdos chegarão a ser um Cristiano Ronaldo ou um João Félix, Miguel Lopes foi perentório quando lhe pediram para deixar um conselho aos progenitores: “Que os pais continuem a ser pais durante a infância e a adolescência dos filhos. Porque é isso que eles precisam dos pais: a retaguarda, o suporte, a disciplina e o afeto. No fundo que desempenhem o papel de pais. O resto, os treinadores e os clubes tratam”, dando como exemplos positivos os pais de João Felix e Diogo Dalot com quem privou.

Mais desenvolvimentos na edição impressa

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA